Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro das novidades

Twitter: https://twitter.com/SiteGuerraArmas

Curta nossa página e seja avisado quando a nova simulação sair: https://www.facebook.com/GuerraArmas

Siga-nos no Twitter e fique por dentro de nossas atualizações

Estamos oficialmente no Twitter, não deixe de nos seguir e ficar por dentro das principais notícias de defesa do país e do mundo.

@SiteGuerraArmas

twitter2

Guerra & Armas investirá em seu novo site e anuncia novidades

twittwe

O Editor-Chefe do Blog, Francisco Santos, iniciou negociações com um investidor dos EUA para investir no Blog que passará em breve para seu próprio domínio (guerrasearmas.com), além do portal de notícias de defesa estão previstos também a criação da loja virtual para vender produtos exclusivos para nosso público e ainda produtos de cutelaria e miniaturas militares colecionáveis.

O Guerra & Armas,  o maior blog de defesa do país (Em número de visitas confirmado por consultorias online / Não confundir com sites), inicia agora a nova fase de investimentos com sua nova plataforma. O site que hospedará o Blog já esta sendo finalizado e em breve estará disponível para os leitores, passando de blog para site, com isso o Guerras e Armas (possivelmente haverá mudança no nome do Blog devido ao domínio) deixará de reproduzir / republicar conteúdos de terceiros e passará a criar e elaborar matérias exclusivas, que serão produzidas por uma equipe altamente qualificada.

Emissora de televisão

Manifestamos o desejo a alguns dias em uma publicação no blog de criarmos um Canal de TV a Cabo inteiramente voltado para Defesa, com programação focada em nossas forças armadas, armamentos, temas políticos e estratégicos dos acontecimentos mundiais como conflitos e crises militares, iniciamos os estudos de viabilidade jurídica e econômica e constatamos que é sim possível criarmos a emissora, vale lembrar que qualquer cidadão pode ter uma emissora de TV a cabo, ou seja, os investimentos  são relativamente baixos, contudo o alcance da emissora de TV dependerá da cobertura das empresas em sua cidade.

“Ainda estamos buscando parceiros para o projeto, ate o momento estamos na fase de elaboração do projeto inicial para depois iniciarmos a fase de apresentação junto a investidores e ao próprio Ministério das Telecomunicações, inicialmente nosso projeto prevê uma emissora que acompanhe o dia a dia de nossas Forças Armadas, será um canal único no país, o primeiro do gênero, abordaremos documentários e temas como a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial e a Guerra do Paraguai, coisas que emissoras atuais não abordam.” Afirmou Francisco Santos, editor-chefe do Blog e diretor da KYZ Comunicações.

Revista Guerra & Armas

Além da criação da Loja Virtual, a KYZ Comunicações, empresa que controla o Guerra & Armas Brasil lançara ainda este ano a Revista Guerras e Armas em parceria com o Guerra & Armas USA (O G&A agora possui sede também nos EUA), este projeto que foi engavetado por falta de verbas da equipe do Blog que não tinha retorno financeiro ate então foi novamente posto em pauta e deverá ser lançada ate dezembro deste ano.

KYZ Comunicações

Empresa de comunicações responsável desde 1º de Abril de 2015, pela administração do Guerra & Armas, além de ser a empresa responsável pela Loja Virtual e Revista Guerras e Armas,  sera também a empresa responsável pela condução do processo de criação do Canal Guerra & Armas (TV á Cabo). A empresa possui sua sede em Belo Horizonte – Minas Gerais, você pode entrar em contato conosco através do e-mail: francisco.santos53@gmail.com

Porta-aviões naufragado da Segunda Guerra Mundial é achado na costa da Califórnia

  • Imagem aérea mostra o porta-aviões da 2ª Guerra USS Independence ancorado na baía de San Francisco, na Califórnia, em janeiro de 1951Imagem aérea mostra o porta-aviões da 2ª Guerra USS Independence ancorado na baía de San Francisco, na Califórnia, em janeiro de 1951

Uma agência oceânica dos Estados Unidos descobriu os destroços afundados de um porta-aviões da Segunda Guerra Mundial, o USS Independence, perto do litoral norte da Califórnia, e disse que a embarcação está supreendentemente bem preservada, provavelmente com um avião ainda em seus hangares.

O Independence, que operou nas regiões central e oeste do oceano Pacífico entre novembro de 1943 e agosto de 1945, chegou a sobreviver aos testes atômicos do atol de Bikini, antes de ser afundado em janeiro de 1951.

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA (NOAA, na sigla em inglês) encontrou o casco intacto do porta-aviões em meio a uma missão de dois anos para mapear cerca de 300 naufrágios nas águas próximas à cidade de San Francisco.

“Após 64 anos no leito marinho, o Independence descansa no fundo como se estivesse prestes a lançar seus aviões”, disse o cientista-chefe da missão da NOAA que encontrou o Independence e diretor do Gabinete Nacional de Santuários Marinhos, James Delgado, em comunicado publicado no site da instituição.

“O navio lutou uma longa e dura guerra no Pacífico, e depois da guerra foi submetido a duas explosões atômicas que atravessaram o navio”, disse Delgado. “O porta-aviões é uma lembrança da potência industrial e habilidade da ‘grande geração’, que enviou não somente esse navio, mas muitos de seus entes queridos para a guerra.”

O porta-aviões foi encontrado a 790 metros de profundidade por um robô submarino chamado Echo Ranger, fornecido à NOAA pela Boeing.

De acordo com a NOAA, as imagens feitas pelo Echo Ranger mostram que o Independence está praticamente intacto, repousando de pé e tombando ligeiramente para estibordo, com buracos abertos em seu convés de voo. A agência disse que as fotos também revelam o que parecia ser um avião no hangar da embarcação.

Após prestar seus serviços na guerra, o Independence foi uma das 90 embarcações usadas como uma espécie de frota alvo nos testes com bombas atômicas realizados no atol de Bikini, nas Ilhas Marshall.

O porta-aviões retornou aos EUA danificado pelos impactos, o calor e a radiação das explosões e foi usado para estudos de descontaminação feitos pela Marinha, antes de ser afundado em 1951.

Delgado disse não haver planos para se entrar no navio naufragado.

Reprodução/NOAA

Imagem de sonar fornecida pela agência americana mostra o porta-aviões USS Independence no fundo do mar.

Fonte: Uol

“Temos um bom helicóptero, mas não temos um suporte logístico à altura”

Força Aérea brasileira destaca qualidade de helicópteros russos Mi-35 
No ambiente da LAAD 2015, feira internacional da área de Defesa e Segurança, o diretor do Parque de Material Aeronáutico e Bélico e subdiretor de aeronaves da Base Aérea dos Afonsos, Brigadeiro do Ar Sérgio de Matos Mello, falou em exclusividade a Sputnik sobre os helicópteros Mi-35 de fabricação russa, usados atualmente pela FAB.

O contrato entre o Brasil e a empresa estatal russa Rosoboronexport, especializada na venda de equipamentos militares ao exterior, estipulava o fornecimento de 12 aeronaves do modelo.

O helicóptero de combate Mi-35 é equipado com armas de alta precisão e pode também operar à noite. O aparelho tem capacidade para cumprir missões como defesa aérea, escolta e ataque ao solo. A aeronave tem sido utilizada por muitos países da Europa, da Ásia, da África e das Américas. O último lote, formado por 3 aparelhos, foi entregue à FAB em dezembro de 2014.
Para o Brigadeiro Sérgio de Matos Mello, a Aeronáutica está satisfeita com o treinamento dos pilotos e a performance dos helicópteros, que estão atuando em Rondônia, em Porto Velho, no Norte do país. “Os helicópteros são muito bons, a missão é muito bem cumprida por eles.”
O representante da Força Aérea também contou que os helicópteros russos já participaram da manutenção de segurança pelo menos em um lugar em Brasília durante a Copa do Mundo e segundo a informação preliminar participarão do esquema de segurança durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016.
Ele lamenta, no entanto, a demora em receber materiais de consumo e de reparo vindos da Rússia para a manutenção das aeronaves.
“Existe uma lei russa na parte de exportação e importação de material militar, que impede que o atendimento ao Brasil seja mais rápido. Com isso nós temos um bom helicóptero, mas não temos um suporte logístico à altura para que tenhamos uma disponibilidade melhor das aeronaves.”
Mas o problema dos detalhes será solucionado, prometem os parceiros russos. O vice-diretor geral da Rosoboronexport, Sergei Goreslavsky, disse:
“O fornecimento dos Mi-35M inclui um programa adicional, que visa a criação de um centro de serviço para obras de reparo dos detalhes e dispositivos de helicópteros. A criação deste centro prevê o uso de tecnologias russas e infraestrutura que o cliente brasileiro tem”.
No entanto, além da compra dos 12 helicópteros, o contrato com a estatal russa prevê ainda a construção, pelos russos, de um centro de atendimento no Brasil até outubro de 2016, o que vai agilizar a manutenção e o reparo dos equipamentos.
Por sua vez o ministro da Defesa do Brasil Jaques Wagner durante a sua coletiva na LAAD 2015 no dia 15 de abril constatou que a audiência do primeiro dia da feira (14) foi mais de dez mil pessoas, o que é um recorde.

Lideranças de protestos vão, agora, pressionar o Congresso

Screenshot_2

Depois de reunir cerca de 600.000 pessoas em quase 200 cidades neste domingo, as lideranças dos movimentos que organizam protestos contra a presidente Dilma Rousseff e o PT adotarão um novo foco: ao invés de convocar manifestações de rua, os movimentos Brasil Livre e Vem Pra Rua pretendem agora pressionar o Congresso.

Já na próxima sexta-feira, o MBL pretende dar início a uma caminhada de São Paulo a Brasília – o trajeto tem como ponto de partida a Praça Panamericana, na Zona Oeste da capital paulista. Assim como o Vem Pra Rua, o grupo entende que, mais do que seguir mobilizando brasileiros nas ruas, é preciso pressionar o Congresso a aprovar suas pautas. Sobre a caminhada de mais de 1.000 quilômetros, Renan Haas, um dos líderes do MBL, brinca: “Vai ser tipo a Coluna Prestes dos reaças”.

Screenshot_7

Flávio Brado, um dos líderes do Vem Pra Rua, reafirma que o foco agora é levar as demandas populares a Brasília. “Nesta semana, formalizaremos item por item o que tem de ser feito. O voto distrital puro e não obrigatório será uma dos pedidos do grupo”.Os dois grupos celebram o número de manifestantes que saiu às ruas neste domingo. Embora menor em total de público do que as manifestações 15 de março, os protestos de 12 de abril conseguiram maior capilaridade e espalharam-se por mais cidades. “Foi positivo porque a mensagem dessa vez ficou clara. Ninguém estava aqui por uma pauta genérica de corrupção, mas todos os grupos estavam pedindo a saída de Dilma Rousseff”, diz Haas. Brado tem opinião semelhante: “Mais importante que o número de pessoas aqui em São Paulo, que já sabemos que nos apoia, foi conseguirmos duplicar, triplicar, o número de municípios que tiveram manifestações contra o governo”.

Fonte: VEJA

Estamos no Twitter. Siga-nos!

https://twitter.com/SiteGuerraArmas

Ataque aéreo e combates deixam 27 mortos no Iêmen

Moradores observam cratera aberta no solo por ataques (Foto: Khaled Abdullah/Reuters)

Um ataque aéreo da coalizão liderada pela Arábia Saudita atingiu neste domingo uma base militar no sul do Iêmenx, e matou 15 rebeldes, ao mesmo tempo que outras 12 pessoas faleceram em combates em Ádenx entre partidários e opositores do presidente.

Os aviões da coalizão árabe bombardearam o Campo 22 na região de Al-Dhahra, na província de Taez. O ataque deixou 15 mortos entre os rebeldes xiitas huthis e seus aliados, informou uma fonte médica. Oito insurgentes ficaram feridos.

No sábado, o porta-voz saudita da coalizão afirmou que 1.200 ataques aéreos foram realizados no Iêmen desde o início da intervenção, em 26 de março, contra os rebeldes, que assumiram o controle da capital Sanaax e de várias regiões do centro, sul e oeste do país.

Os ataques da coalizão neutralizaram as capacidades aéreas e balísticas dos rebeldes e seus aliados, militares leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh, e devem prosseguir, segundo o porta-voz saudita.

O atual presidente do Iêmen, Abd Rabbo Mansur Hadi, fugiu da capital para Áden e, quando os rebeldes começaram a avançar para esta cidade, buscou refúgio em março na Arábia Sauditax, que lidera a ofensiva aérea para apoiar o governo iemenita.

Os confrontos não deram trégua no sábado na cidade de Áden entre os rebeldes e os partidários do presidente.

Os combates de sábado terminaram com as mortes de quatro civis, cinco insurgentes e três simpatizantes do presidente Hadi, segundo fontes médicas.

Em todo o país, os combates afetaram 15 das 22 províncias: Áden, Daleh, Lahj, Abyan, Shabwa, Taez, Ibb, Baida, Hodeida, Raymah, Amran, Hajja, Saada, Jawf e Marib.

A rede Al-Qaedax, implantada no sudeste do país, assumiu o controle de Mukalla, capital da província de Hadramut.

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto: