Raptor em sua primeira ação real

1 uZFmSWrEQXFyL5BpV2Qe5QAtaque ao Estado Islãmico na Síria teria sido a estreia do F-22 em combate.

Pouco antes das quatro horas da manhã de 23 de setembro, choveram bombas em Al Raqqa, a “capital” do grupo militante Estado Islâmico na Síria marcou o início de uma grande ofensiva por aviões e navios americanos e aliadas, e ao que parece, a estréia em combate do caça stealth F-22 Raptor.

Trinta minutos depois, o Pentágono anunciou a ofensiva. “Vamos deixar uma coisa clara. Os Estados Unidos e seus aliados estão agora em guerra na Síria. Os ataques a tropas, depósitos e instalações de comando vão vir como mais de 130.000 sírios fugiram em direção a Kurdst na Turquia para escapar ao Estado islâmico.

Os EUA quase bombardearam a Síria no ano passado, mas o Presidente Barack Obama cancelou o ataque no último minuto. A ironia é que se os EUA tivessem bombardearam a Síria naquele momento, o alvo seria o regime brutal do presidente sírio Bashar Al Assad.

Agora os Estados Unidos estão bombardeando o Estado Islâmico, que está lutando contra Assad e também contra praticamente todos os outros na região.

Para complicar, o Irã está ajudando os curdos, aliados da América, contra o Estado Islâmico no Iraque, mas o Irã também está armando e treinando as forças de Al Assad.

O resultado é que os EUA querem destruir Estado Islâmico e evitar a segmentação do regime sírio no processo. Mas a Casa Branca também se opõe ao regime sírio e está se preparando para fazer uma coalizão de grupos rebeldes dentro do país para lutar tanto contra o Estado islâmico quanto ao exército sírio.

É uma bagunça. Mas, pelo menos, os americanos finalmente conseguiu colocar seus caros F-22 em ação!

Aviões de guerra norte-americanos na região incluem caças F-22, F-15E e F-16 e bombardeiros B-1B, além de aviões tanque KC-135 e aviões RC-135 de espionagem.

Juntos, os aviões-americanos e um punhado de jatos Rafale atacaram militantes no Iraque cerca de 200 vezes desde o início de agosto. Aviões B-2 e B-52 também poderão entrar em ação.

O Wall Street Journal informou que caças F-22 participaram dos ataques de 23 de setembro. Se o F-22 desempenhou um papel, provavelmente acompanhando os atacantes, talvez para protegê-los de aviões de guerra sírios. Há sempre o perigo de o regime sírio pode tentar intervir na campanha liderada pelos Estados Unidos.

As missões de escolta representam a estreia em combate do F-22, oito anos após o sofisticado jato entrar em serviço na linha de frente.

A principal ameaça à caças de Washington são mísseis. As defesas aéreas do regime podem querer atirar de volta e os EUA não vão permitir. Os EUA devem ter total liberdade para atacar alvos do Estado islâmico na Síria.

Previsivelmente, o Pentágono não está confirmando nem negando sobre o envolvimento do F-22 nos ataques.

FONTE: medium.com – Tradução e edição: CAVOK

Sobre Francisco Santos

Francisco Santos é jornalista a mais de 5 anos, hoj é correspondente do Jornal Diário do Estado (Paraná), em seus momentos livres escreve para o Blog Alvo na TV, com colunas críticas, imparcial, profissional ao extremo e dedicad ao mundo da TV. É fundador e dono do Blog de defesa Guerra & Armas, que já conta com um crescimento considerável e esta prestes a se tornar um dos maiores Blogs de defesa do país, com compromisso e credibilidade o jornalista Francisco Santos mostra toda sua qualidade e amor ao que faz.

Publicado em 09/24/2014, em EUA, Oriente Médio e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 9 Comentários.

  1. Quando encontrarem os Kaf Pa T50 russos pela frente,voltam correndo p o ninho.

    Curtir

  2. Finalmente estão utilizando esse avião, afinal para ele custar mais de 150 milhões de dólares, o EUA tem que justificar seu custo para o contribuinte, apesar que na situação os F-15, F-16 e F-18 também é apropriado, agora assumir que um avião russo X ou um avião chinês Y é superior é pura demagogia, os EUA não gasta equivalente a os próximos 15 países em orçamento militar sem nenhum significativo e lembrar que um piloto americano tem 3 a 4 vezes mais treinamento eu seu equivalente russo ou chinês, sem contar que através de táticas que os EUA ditam como a guerra moderna é feita.

    Curtir

  3. Os empregados das fabricas agradecem, e seus empregos vergonhosamente estão garantidos. Os que morrem!? Ah isso e problema deles. Quem manda comprar aviões de Guerra? E os Políticos Norte Americanos tão rindo de orelha a orelha.

    Curtir

  4. eadem@ig.com.br

    Os EUA querem vender o caríssimo F-22 Raptor e não têm clientes porque ninguém sabe se o avião é mesmo o sucesso que seus fabricantes prometem, ou se é uma fraude.

    Outro avião “invisível” e que seroa “todo-poderoso” era o F-117, experimentado cercasdo de cuidados no Iraque e depois levado a atacar à Bósnia. Lá, um desses aviões caiu alvejado por fogo comum de tropas terrestres e um segundo foi abatido provavelmente por mísseis. Se a estréia do Raptor for igual ao mal-sucedido F-117 adeus encomendas. Mas se acertar mais do que for acertado, talvez venda meia-dúzia de exemplares para quem tiver muita grana pra encalhar em tão badalado avião. O Brasil de Dilma, de novo com pires na mão por causa da forte crise que abala nosso país, vai se contentar com o gripen sueco e olhe lá… já está de bom tamanho.

    Curtir

  5. É mais do que óbvio que apesar de se chamar Guerra&Armas nenhum dos comentaristas conhece sobre o assunto:

    O projeto do avião é que se chama PAK FA, que é uma sigla russa para “Futuro Complexo Aéreo para as Forças Aéreas Táticas”. (Antonio Cordova)

    Diz isso para os 12 milhões de empregados diretos e indiretos nos EUA ligados no setor de defesa. (José Camargo)

    O congresso americano vetou explicitamente a venda do avião e por isso o F-35 preenche o vazio para ”aliados do EUA”, tanto que a partir de 2005 o Japão tentou comprar vários F-22 sem sucesso, mesmo sendo aliado. (eadem@ig.com.br)

    Curtir

  6. A sigla pode estar incorreta,mas a superioridade da aeronave russa é incontestável.Isso já foi comparado e comprovado por especialistas.Iniciou-se a construção posteriormente e por isso os materiais utilizados são superiores,o alcance é maior,a capacidade p armamento é melhor, o sinal no radar é menor(capacidade stealth),a velocidade é superior…Eric.

    Curtir

    • Alcance e Velocidade:

      T-50 (Designação do prototipo) tem alcance superior ao F-22 porem ao afirmar que o T-50 é mais rápido é ignorância por dois motivos:

      A velocidade real do F-22 é confidencial.
      O T-50 sacrifica velocidade em relação ao seu predecessor(Flanker) por supercruise, stealth e supermanorabilidade.

      Materiais:

      Não sei que fonte você levou em consideração os matérias de um serem melhores que o outro sendo que no principio básico os dois são feitos de titânio e liga de carbono leve.

      Stealth:

      Os próprios russos admitiram que estão fazendo a capacidade stealth do T-50 em par ao F-35 que por fim é inferior ao do F-22.

      Sinal do radar:
      Você parece confundir isso com stealth e se você levar em consideração alcance do radar então está mentindo porque boa parte da informação referente dos radares dos dois aviões é CONFIDENCIAL.

      Armas:

      O F-22 tem dois pontos duros a mais que o T-50 nas baias interna e é isso que conta já que se esses dois aviões carregassem armas em pontos duros externos, perderiam a função stealth.

      Curtir

  7. Pessoas confunde stealth com invisibilidade, porem a tecnologia não torna o avião invisível e sim diminui o RCS(registro do avião no radar) para um tamanho bem pequeno.(A mesma coisa que encontrar uma bola de golfe no radar).

    Um exemplo em marinha é o mais novo e avançado navio de guerra americano o USS Zumwalt, apesar de pesar mais de 14 mil toneladas e medir 180 metros de comprimento, o RCS dele é igual ao de um barco e pesca.

    Curtir

  8. O Lockheed Martin F-22A Raptor.
    Descrição
    Fabricante Estados Unidos Lockheed Martin e Boeing1
    Quantidade
    produzida 195 (8 para testes e 187 operacionais) unidade(s)
    Missão Superioridade aérea e multirole fighter1
    Tripulação 1 (piloto)1
    Dimensões
    Comprimento 18,91 m
    Envergadura 13,61 m
    Altura 5,11 m
    Área (asas) 78,041 m²
    Peso
    Tara 14.3651 kg
    Peso total 27.2161 kg
    Peso bruto máximo 36.2881 kg
    Propulsão
    Motores Pratt & Whitney F119-PW-100 turbofan1
    Força (por motor) 155.68771 kN
    Performance
    Velocidade máxima 2.4481 km/h (Mach 22 )
    Alcance bélico 3.2201 km
    Teto máximo superior a 15.240 m
    Armamento
    Metralhadoras M61A2 20mm3
    Mísseis/Bombas AIM-120 AMRAAM, GBU-39 SDB, GBU-31 JDAM, AIM-9M Sidewinder3
    O F/A-22A Raptor, é uma aeronave de combate aéreo fabricada nos Estados Unidos, pela Lockheed Martin. Foi o primeiro

    Descrição
    Fabricante Sukhoi/Rússia
    Entrada em serviço 2018 (estimado)1
    Missão Caça de 5ª geração multifuncional
    Tripulação 1 Piloto
    Dimensões
    Comprimento 22,0 m
    Envergadura 14,2 m
    Altura 6,05 m
    Peso
    Peso total 26.000 kg
    Peso bruto máximo 37.000 kg
    Propulsão
    Motores 2 x Saturno-Lyulka AL-41F turbofan
    Força (por motor) 100 kN (com pós combustão: 160 kN) kN
    Performance
    Velocidade máxima 2.527 km/h (Mach 2,5)
    Alcance 4.000 a 5.500 km
    Teto máximo 20.000 m
    Relação de subida 21000 m/s
    Armamento
    Metralhadoras 2 x canhões internos de 30 mm
    Mísseis/Bombas R-77 Adder, FAB500
    Notas
    Concorrente Direto: F-22 Raptor
    O Sukhoi PAK FA é um caça russo de quinta geração sendo desenvolvido pela Sukhoi para a Força Aérea Russa.
    Caça russo T-50 entra na concorrência com o americano F-22
    27/06/2013
    Atualmente em testes, aeronave traz uma série de inovações para minimizar sua visibilidade aos radares e materiais leves que elevam a indústria aeronáutica nacional a um patamar completamente novo.
    Força Aérea Russa vai adquirir pelo menos 70 caças T-50 ainda este ano Foto: ITAR-TASS
    Durante o Salão Aeronáutico de Le Bourget, em Paris, foi anunciada a conclusão de um novo motor para o caça tático avançado T-50, mais conhecido por PAK FA (sigla em russo). Os resultados da primeira etapa dos testes de voo da aeronave evidenciam que o avião russo é, em alguns aspectos, melhor do que seu concorrente direto, o norte-americano F-22 Raptor.
    “O programa de testes envolve cinco aeronaves”, explica o presidente da corporação de construção aeronáutica russa, Mikhail Pogossian. “Isso permite acelerar o processo de testes e diminuir o atraso em relação aos EUA, onde o F-22 já está em serviço da Força Aérea norte-americana e é considerado o caça mais moderno”, acrescenta Pogossian, sem fornecer mais detalhes sobre o novo modelo russo.
    O projeto de T-50 conta com a participação da Índia, que disponibilizou cerca de US$ 25 bilhões e espera obter a versão de exportação do T-50 até 2018. A Força Aérea Russa (FAR) receberá os primeiros T-50 de produção em série já este ano, e comprar ao todo pelo menos 70 aeronaves.
    Para os designers, o T-50 é a quintessência do que há de mais moderno no setor de aviação russo. A aeronave traz toda uma série de inovações para minimizar sua visibilidade aos radares, novos materiais estruturais e revestimentos, inteligência artificial e componentes de hardware que elevam a indústria aeronáutica nacional a um patamar completamente novo.
    Peso leve
    Um dos destaques do T-50 são os novos polímeros de fibra de carbono, cujo peso é duas vezes menor do que o alumínio e quatro a cinco vezes menor do que o aço. Como mais de 70% do revestimento da aeronave é composto por novos materiais, o resultado é um avião quatro vezes mais leve do os demais construídos com materiais comuns.
    Quase invisível
    Além disso, o T-50 se destaca por uma visibilidade reduzida aos radares, ópticos e infravermelhos. A área efetiva da superfície refletora da aeronave é de 0,5 m2, enquanto a do Su-30MKI é de 20 m2. Isso significa que, no radar, o Su-30MKI aparece como um objeto metálico de 5 por 4 metros, enquanto o T-50 tem uma imagem 40 vezes inferior.
    Dezenas de sensores colocados ao longo da fuselagem permitem controlar a situação em torno da aeronave e trocar informações em tempo real com serviços terrestres e dentro de um esquadrão. Se não bastasse, um “piloto automático” oferece ao piloto da aeronave várias opções de ação. O T-50 é capaz de decolar e pousar em uma pista de 300 a 400 metros de extensão.
    Manobrabilidade
    O T-50 possui elevada capacidade de manobra e alto nível de intelectualização. Um radar de matriz ativa faseada instalado na aeronave permite ao piloto ver tudo o que acontece no espaço aéreo e na Terra a uma distância de várias centenas de quilômetros, bem como acompanhar vários alvos aéreos e terrestres ao mesmo tempo.
    Armamento
    O armamento da aeronave é transportado dentro dos compartimentos internos, como exige a tecnologia Stealth. Os compartimentos internos podem acomodar até oito mísseis ar-ar do tipo R-77 ou duas bombas inteligentes de 1.500 kg. A aeronave também pode levar em dois pontos duros sob as asas dois mísseis para lutar contra alvos a uma distância de 400 km.

    Que tal os UCAVs nEUROn ou X-47 de 6ª geração?

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: