Terceira Guerra Mundial: A batalha Final – Parte 20

700_e56a5aaaa4d4d4028064098366b12407[1]

POR FRANCISCO SANTOS

Como vimos no capitulo anterior (Veja todos os capítulos abaixo), os EUA invadiram o México e Cuba, dois países que ameaçavam servir de base para uma invasão da Nova União Soviética. Após a invasão a NURSS enviou sua frota de navios de guerra ao Haiti e Republica Dominicana e asseguraram duas importantes posições para lançarem mísseis na Flórida e Canadá, o mundo inteiro se viu diante de uma nova crise dos mísseis muito mais assustadora do que a primeira nos primórdios da Guerra Fria.

A população de Nova York parou diante dos telões das avenidas Nova Iorquinas que mostravam noticias das tropas da NURSS (Nova União Soviética) desembarcando a poucos quilômetros dos EUA, a população estava apreensiva, nunca houve tamanha comoção e medo nos americanos, que assistiam tropas soviéticas batendo a porta, um espírito patriota se abateu sobre os EUA, pais de família, filhos e filhas olhavam para seus pais e sabiam que a hora de lutar por seu país, por sua liberdade chegou, as mães sabiam que o sacrifício da vida de seus filhos era um preço a se pagar para a liberdade humana livre da ameaça comunista, um regime devasto e tirano que mata sem pudor e sem piedade.

Washington. DC / Casa Branca

Na Casa Branca o presidente dos EUA acompanhado de seus secretários e militares das mais altas patentes via estarrecido as tropas da NURSS desembarcando na  Jamaica, Haiti e Republica Dominicana, em agonia e com um aperto no coração em saber que estava diante dele a decisão mais difícil que um presidente americano tomaria, dirigiu-se a seu Secretário de Defesa e  perguntou se era possível as tropas que ocupam Cuba e México responderem a esta invasão, para salvar estes países da desgraça do socialismo que segrega e escraviza a população e evitar que a NURRS obtivesse bases de lançamento tão próximas a Flórida e países aliados como Canadá e Porto Rico. Seu Secretário de Defesa e Generais presentes, responderam ainda que baqueados e com um caroço na garganta frente a maior ameaça militar da história dos EUA  responderam que se respondessem a invasão soviética com forças de Cuba e México poderia significar a perda destes territórios e a queda de duas importantes barreiras que são vitais para segurança dos Aliados e dos EUA.

Belo Horizonte – Brasil / palácio provisório do Governo

Em Belo Horizonte, no palácio provisório do governo, cercado de tanques de guerra, baterias anti aéreas, soldados em “bunkers” de sacos de areia e caças sobrevoando a todo instante os céus, estava o presidente do Brasil, forçado a mudar a capital do país para três cidades, após os ataques ao Rio de Janeiro e Brasília, o Congresso Nacional foi transferido para Campo Grande no Coração do brasil após ter sido destruído por um míssil inter-continental lançado por Moscou ainda no inicio da guerra, a Suprema Corte funciona em Manaus e a sede do executivo em Belo Horizonte que é protegida por montanhas o que dificulta a ação de mísseis e ataques aéreos já que no topo da Serra do Curral que cerca a capital mineira estão instaladas baterias anti aéreas Patriot.

Ao saber do desembarque de tropas soviéticas no Haiti e R. Dominicana, imediatamente o presidente telefonou para Washington e iniciou uma reunião em vídeo conferência com o presidente americano, paquistanês, Francês, primeiro ministro inglês e presidentes de Chile, Uruguai, Colômbia e  Porto Rico, o presidente disse que estava na hora de um ataque conjunto para por fim a NURSS, China e Índia, era necessário a união dos países em um só ataque para defender a América de ataques, pois a Europa já caiu.

A Europa caiu…

Após mais de 10 anos reduzindo gastos de defesa e reduzindo os efetivos militares, a Europa que já foi uma super potência militar em vários momentos da história não suportou os ataques soviéticos e chineses, caças J-20 e T-50 lançaram ataques a Londres, Paris, Madrid, Roma e Berlim, não resta mais governo em pé, os presidentes e primeiros ministros embarcam secretamente para o Brasil, tropas chinesas marcham sobre Londres e mais uma vez na história tropas soviéticas cruzam Berlim e penduram a bandeira da NURRS sobre a sede do governo alemão, os parlamentares são executados a tiros de metralhadora sem piedade.

A traição de onde menos se esperava…

Com os EUA cercados e com a queda da Europa, a NURSS sabia que após a derrota dos EUA o próximo alvo seria o Brasil que emanou-se como uma super potência após o conflito com a Argentina (Clique aqui, para ler a simulação) e infligiu pesadas derrotas ao Eixo Comunista, após a derrota na Venezuela onde tropas brasileiras expulsaram soldados soviéticos e afundaram navios da NURRS na costa brasileira e venezuelana, o país comunista tem no Brasil seu segundo maior inimigo após os EUA, o único a derrota-los.

Neste cenário o nosso maior aliado histórico, o Uruguai, que participou da reunião de emergência (logo acima) promovida pelo presidente do brasil, fez o impensável, vendo a mudança de maré para os Comunistas, o Uruguai foi seduzido pela NURSS que ofereceu o Sul do Brasil e parte da Argentina caso vencessem a guerra o que pelos últimos fatos estava bem próximo de acontecer já que se os EUA caíssem apenas o Brasil lutaria contra a NURSS, China e Índia, sem saber o Brasil organizou uma força tarefa formada por uma esquadra brasileira e Uruguaia  formada por 20 navios de guerra que deveriam se juntar a navios colombianos e chilenos com rumo a Europa para proteger o navio que traria os líderes europeus que fugiram de seus países tomados pelos comunistas para do Brasil organizarem a resistência no continente Europeu.

Do Rio de Janeiro saíram 15 dos 20 navios que escoltariam os lideres europeus, a operação era sigilosa, a Marinha do Brasil tomou todos os cuidados possíveis para que o Eixo Comunista não tomassem conhecimento desta operação, pois se os líderes fossem mortos poria fim a qualquer resistência armada dos povos europeus dominados que veriam seus líderes mortos e não lutariam por sua liberdade, a certo ponto já próximo a Africa onde os 5 navios uruguaios deveriam se juntar a esquadra avistaram o navio “Príncipe das Austúreas” o porta-aviões espanhol desativado a anos porém o único que não foi afundado pela marinha soviética e chinesa.

Os céus são patrulhados por Su-30 e J-20 além de T-50 e J-31, a única saída seria pelo mar com o antigo porta-aviões que abriga todo o estado-maior dos líderes europeus e os poucos oficiais que conseguiram se salvar da matança e batalhas cruéis, é importante lembrar que nem a NURSS  e nem a China fizeram uso de armas nucleares para não inutilizar os países conquistados, já que a radiação das bombas tornariam os locais de impactos inabitados por dezenas de anos.

Os navios uruguaios não apareceram, ao longe o velho porta-aviões carregando soldados feridos no convés no lugar de aviões, líderes que antes eram os mais poderosos do mundo, hoje são presidentes, reis e rainhas sem país e sem trono.

O Almirante e comandante da esquadra estranhou a ausência dos navios uruguaios e ordenou que se verificasse se algum Submarino soviético ou chones tinha atacado os navios uruguaios,  apenas o silêncio nos rádios, a frota imediatamente aumentou sua velocidade para interceptar o porta-aviões e escolta-lo ate o Brasil, mas o pior ainda estava por vir…

A África abandona os Aliados…

Como na Guerra Fria novamente a Africa se acovardou e se declarou “Neutra”, mas tudo não passava de uma artimanha soviética que negociou ajuda militar e financeira a praticamente todo o continente, mas a África do Sul se mostrava leal e não aceitou tal artimanha, imediatamente os caças Gripen decolaram e interceptaram aviões russos que foram abatidos em solo Sul-Africano, pela primeira vez desde o começo da guerra a África do Sul participava efetivamente da guerra.

Batalha Naval:China x Brasil

Maldito Uruguai! A operação caiu! Bradava nervoso o capitão da fragata F-158 Maitá, navio capitania da esquadra que percebeu que os uruguaios haviam abandonado a esquadra e entregado toda a operação para o Eixo Comunista, imediatamente alertas de inimigo ecoaram por todos os navios da esquadra, uma frota de navios chineses se aproximava no horizonte.

Fragatas Type 54  lançaram torpedos  Yu-7 (Projeto 109, também conhecido como ET52 na versão de exportação) que atingiram o Navio de Apoio Logístico Amapá o explodindo em segundos, imediatamente outros 3 torpedos atingiram a formação e danificando outros 2 navios .

A Fragata capitania F-158 Maitá lançou torpedos torpedos Mk-46 que atingiram a proa de uma das fragatas chinesas que ficou seriamente danificada, imediatamente o Almirante ordenou que botes interceptassem o porta-aviões espanhol que abrigava os líderes europeus e transferissem-nos para o navio NaPo Almirante Sabóia que deveria se desfazer da formação e ser escoltado pelo Submarino Riachuelo armado com torpedos F-21 capazes de afundar sem problemas as fragatas chinesas, no entanto a formação era fraca, sem os navios uruguaios e com navios velhos ainda do período pré-guerra Brasil x Argentina a formação não foi forte o suficiente e em pouco mais de 3 horas os navios foram afundados ou avariados, o Brasil sofria sua maior derrota em mar.

Imediatamente a formação de navios chineses acompanhados de um submarino soviético torpedeou sem piedade o velho porta-aviões espanhol, soldados feridos que estavam no convés logo morreram sem poder nadar, centenas de pessoas morrendo afogadas ou sendo fuziladas ainda em água pelos comunistas que não tem dó e nem piedade.

No rádio o comandante da frota chinesa passa a mensagem que a esquadra brasileira foi derrotada e os líderes foram mortos, no entanto antes de a esquadra ser dizimada o Almirante ordenou que o NaPo Sabóia levasse os líderes ao Brasil em segurança escoltados pelo SBR Riachuelo que teve ajuda da escuridão e da distração da Esquadra brasileira que lutou bravamente. 

CONTINUA…

DEVIDO AO TAMANHO DO FINAL DA SIMULAÇÃO, O POST FOI DIVIDIDO EM DUAS PARTES E JÁ ESTA AGENDADO A POSTAGEM DA ÚLTIMA PARTE PARA ÁS 22H DE AMANHÃ. CONFIRA ABAIXO A LISTA DE TODOS OS CAPÍTULOS..

  1. 3ª Guerra Mundial

  2. 3ª Guerra Mundial: China Invade ilhas na Ásia

  3. Terceira Guerra Mundial: II Parte

  4. Terceira Guerra Mundial: Parte IV

  5. Terceira Guerra Mundial: Parte 5

  6. Terceira Guerra Mundial: Parte 6

  7. Terceira Guerra Mundial: Parte 7

  8. Terceira Guerra Mundial: Parte 8

  9. Terceira Guerra Mundial: Partes 9 e 10

  10. ——–

  11. Terceira Guerra Mundial: Parte 11

  12. Terceira Guerra Mundial: Batalha pela Polônia (Parte 12)

  13. Terceira Guerra Mundial: Invasão das Guianas (Parte 13)

  14. Terceira Guerra Mundial: Paquistão invade a Índia (Parte 14)

  15. Terceira Guerra Mundial: Aliados iniciam ocupação de Taiwan (Parte 15)

  16. Terceira Guerra Mundial: Invasão a Europa (Parte 16)

  17. Terceira Guerra Mundial: Guerra Nuclear (Parte 17)

  18. Terceira Guerra Mundial: O Começo do Fim – Parte I

  19. Terceira Guerra Mundial: O Começo do Fim – Parte II (Simulação pt. 19)

  20. Terceira Guerra Mundial: A batalha Final – Parte 20

Anúncios

Sobre Francisco Santos

Francisco Santos é jornalista a mais de 5 anos, hoj é correspondente do Jornal Diário do Estado (Paraná), em seus momentos livres escreve para o Blog Alvo na TV, com colunas críticas, imparcial, profissional ao extremo e dedicad ao mundo da TV. É fundador e dono do Blog de defesa Guerra & Armas, que já conta com um crescimento considerável e esta prestes a se tornar um dos maiores Blogs de defesa do país, com compromisso e credibilidade o jornalista Francisco Santos mostra toda sua qualidade e amor ao que faz.

Publicado em 12/22/2014, em Guerras Simuladas e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. muito legal bem interessante

    Curtir

  2. Gostei. Excelente simulação. Agora me diga, seria possível, quando essa simulação acabar, você poderia fazer uma de uma eventual guerra entre as atuais forças Armadas do Brasil e as atuais forças militares da Venezuela.

    Curtir

  3. ???…Veterano do Corpo de Marines dos Estados Unidos: “A verdade por trás do 9/11 aniquilaría Israel“
    julho 14, 2012Caminho AlternativoDeixe um comentárioGo to comments
    Tradução: Caminho Alternativo

    Um autor e veterano do Corpo de Marines dos EUA afirma que Israel planejou os ataques do 9/11, dizendo que, se os norteamericanos fossem informados sobre isto, exterminariam o regime sionista.
    “Tive longas conversas durante as últimas duas semanas com contatos no Colégio de Guerra do Exército, na sede do Corpo de Marines, e deixaram absolutamente claro, em ambos casos, que é 100 por cento certo que o 9/11 foi uma operação do Mossad. Ponto.“, disse Alan Sabrosky, escritor e consultor especializado em assuntos nacionais e internacionais de segurança, num clip que aparece no site de opinião pública de intercâmbio de vídeos YouTube.
    Sabrosky disse que seus colegas, que ainda estão em serviço, reagem inicialmente com incredulidade à suas afirmações, mas ao dar suas explicações em relação à demolição controlada dos edifícios, a incredulidade dá lugar à raiva.
    “Em primeiro lugar está a incredulidade, e logo, quando lhes mostro imediatamente uma entrevista com um especialista em demolições, chamado Danny Jowenko, e este mostra o terceiro edifício do World Trade Center caindo – ou WTC7 – “O que é necessário é dizer isto para as pessoas: Três edifícios cairam, e o terceiro não foi impactado por um avião, estava conectado à demolição controlada, portanto, todos estavam conectados à demolição controlada. E nesse ponto a reação é de raiva. Em primeiro lugar a incredulidade, e logo a raiva “, agregou.
    Sabrosky disse que, se os norteamericanos fossem informados da verdade por trás dos ataques, não duvidariam em eliminar Israel sem nenhuma consideração pelos custos envolvidos.
    “Se os estadunidenses souberem que Israel fez isto, o removeriam da Terra”, disse.
    Em 11 de setembro de 2001, levaram a cabo uma série de ataques coordenados nos Estados Unidos, segundo informes, deixando quase 3.000 mortos.
    O governo dos EUA afirmou que 19 terroristas, supostamente relacionados com o mistério, Afegãos do grupo Al-Qaeda, sequestraram quatro aviões comerciais de passageiros para levar a cabo os ataques.
    O relatório oficial dos EUA dos acontecimentos do 11 de setembro foi, porém, amplamente questionado por diversos setores nos EUA e em todo o mundo.
    EUA, sob a administração do ex-presidente George W. Bush, invadiu Afeganistão em 2001, depois de afirmar que os ataques do 9/11 foram realizados pelos membros da Al-Qaeda, albergados pelo regime talibán no Afeganistão.
    EUA também atacou o Iraque em 2003, insistindo que o país rico em petróleo estava em posse de armas de destruição em massa (ADM).
    Em 22 de setembro de 2011 perante a Assembléia Geral da ONU, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, pediu uma investigação internacional independente sobre o incidente de 9/11, dizendo que os ataques deram aos EUA a desculpa conveniente para liderar guerras no Afeganistão e Iraque.
    “Os sionistas estão levando isto como um verdadeiro exercício de tudo ou nada, porque se perderem, se a população estadunidense perceber o que aconteceu, serão eliminados”, concluiu Sabrosky.

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: