Arquivos do Blog

Em 1 ano, 23 homens do Exército se feriram na Maré; vídeo mostra ‘guerra’

Imagem da TV Globo Minas

A pouco mais de um mês da saída da Força de Pacificação do Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte, o Comando Militar do Leste informou que desde o início da operação 23 militares tiveram ferimentos leves em confrontos com criminosos no local desde que o início da ocupação pelo Exército, em abril de 2014. Dois desses militares se feriram num intenso tiroteio no início do ano, conforme mostra o vídeo obtido pelo RJTV.

As imagens foram gravadas por um militar, em 21 de janeiro, na Vila dos Pinheiros. Na ação, policiais militares e soldados do Exército tentavam impedir uma invasão de traficantes. Três facções disputam o controle dos pontos de vendas de drogas. As cenas de guerra incluem até balas traçantes, que partiam de armas de criminosos. Foi quase um minuto de tiros.

O conjunto da Maré tem 16 comunidades. A Vila dos Pinheiros, onde o vídeo foi gravado, fica ao lado de uma das principais vias expressas do Rio, a Linha Vermelha.

Desde abril de 2014, a Força de Pacificação ocupa a região, preparando o terreno para a implantação das UPPs.

De 5 de abril de 2014 a 29 de abril de 2015, o Exército fez quase 583 prisões, 251 apreensões de menores, e mais 1.340 apreensões de drogas. Os militares também encontraram munição, armas, carros e motos roubados.

Pelos dados oficiais, o número de homicídios antes e depois da ocupação, pouco mudou: de 58 caiu para 56.

Os confrontos entre traficantes e homens do Exército têm sido frequentes. Em novembro do ano passado, um cabo morreu baleado na cabeça.

O Exército deixa a Maré em 30 de junho e a substituição por tropas da PM começou no início de abril.

Fonte: G1

Militares do Vale fazem treinamento especial para as Olimpíadas do Rio

Operação Lunas em Cachoeira Paulista reuniu 270 militares em treinamento (Foto: Divulgação/Comando de Aviação do Exército)Operação Lunas em Cachoeira Paulista reuniu 270 militares em treinamento com foco em voos noturnos (Foto: Divulgação/Comando de Aviação do Exército)

Militares do Comando de Aviação do Exército (Cavex), em Taubaté (SP), estão sendo treinados para ações de combate ao terrorismo e situações de risco. Os exercícios simulam a atuação do grupo durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.  Os voos das 12 aeronaves foram feitos na região de Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo.

De acordo com o Exército, foram três semanas de simulações de operações de embarque e desembarque de tropas especializadas, transporte de cargas externas, reconhecimento e navegação noturna. Participaram desta etapa do treino, que termina nesta semana e tem ênfase em voo noturno, 270 militares.

“Estão sendo utilizados cinco tipos de aeronaves, equipamentos de apoio  como material de combate a incêndio, abastecimento, salvamento aéreo e resgate, óculos de visão noturna, entre outros”, explicou o tenente-coronel Cícero Ubiratan de Oliveira Santos, chefe da sessão de Comunicação Social do Cavex.

O treinamento passou ainda pelas cidades de Resende (RJ) e Lins (SP). Segundo o Comando de Aviação do Exército, até o período das Olimpíadas deverão ser realizados novos exercícios.

“As operações buscam se aproximar ao máximo da realidade que a Aviação poderá encontrar nas Olimpíadas”, afirmou ainda o tenente-coronel.

FONTE: G1

Exército Brasileiro moderniza sua frota de blindados

1867-guarani1-650_431

Por Andréa Barretto

O Escritório de Projetos do Exército do Brasil (EPEx), criado em 2012 avalia, propõe, coordena e integra os esforços para viabilizar a realização de projetos estratégicos do Exército, com características de grande porte associadas à complexidade tecnológica e financeira.

Desde 2012, o EPEx une forças em torno de sete projetos: Guarani, Defesa Cibernética, Defesa Antiaérea, Proteger, Recop, Astros 2020 e Sisfron. Iremos apresentar cada um dos projetos, seus objetivos, desafios e novidades em uma série de reportagens, começando com o Projeto Guarani.

Projeto Guarani desenvolve veículos e munições

O objetivo geral do Guarani é modernizar a frota utilizada pelas organizações militares de cavalaria e de infantaria. Mais especificamente, as metas são substituir as viaturas da cavalaria – cuja frota em operação data da década de 1970 – e transformar a frota da infantaria em mecanizada, deixando para trás os veículos motorizados.

Para alcançar essas metas, desde 2009 o Guarani vem criando novos modelos de viaturas. As primeiras a serem fabricadas foram as VBTP-MR (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal – Média de Rodas Guarani), apelidadas com o mesmo nome do projeto, e das quais já foram construídas 158 unidades.

1868-guarani4-650_431

O exército também substituirá outro veículo de tecnologia ultrapassada, o Cascavel, por um novo modelo, a VBR-MR (Viatura Blindada de Reconhecimento – Leve de Rodas). Tanto as famílias de veículos Urutu como as do Cascavel estão em uso há mais de 30 anos. “As novas versões são muito superiores em performance. O desempenho motor, a manobrabilidade, a blindagem e a capacidade anfíbia se destacam em relação às versões antigas”, afirma o chefe do Projeto Guarani, Coronel José Henrique de Cássio Ruffo.

Veículos modernos, armamento moderno

Atualmente, as viaturas passam pela etapa de integração com o sistema de comando e controle (sistema de transmissão de mensagens de voz, de imagens e de dados entre viaturas e entre a viatura e um posto de comando) e com o sistema de armas. Em 20 de março, a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) entregou a munição 30x173mm, que será utilizada nos blindados 6×6 VBTP-MR. A munição é resultado de um processo de pesquisa e concepção realizado com tecnologia 100% nacional.

Gen Villas Boas com a munição de 30mm

O produto tem alcance útil de dois quilômetros e será empregado nos canhões 30mm Bushmaster II/MK 44, que equipam os blindados. As munições 30mm servem para um dos três sistemas de armas suportados pelas viaturas Guarani. Os outros dois são: uma torre automática que pode receber metralhadoras .50 e 7,62mm; e ainda um lançador de granada 40mm. Até o final de 2015, todas as 158 viaturas VBTP-MR Guarani estarão equipadas com os dois sistemas (de comando e controle e de armas).

As VBR-MR também estão sendo fabricadas pela Iveco, empresa responsável pelas VBTP-MR Guarani. A linha de montagem está instalada na cidade de Sete Lagoas, no estado de Minas Gerais. A entrega começará em 2019, mas não está definido quantas VBR-MR serão construídas, já que o Exército está analisando os custos desse investimento.

VBTP-MR Guarani armado com torre de 30 mm

Neste ano, o Exército também selecionará uma empresa para fabricar o blindado 4×4 VBMT-LR (Viatura Blindada Multitarefa – Leve de Rodas). Ela será utilizada junto com os VBR-MR em operações de pequeno porte. Em janeiro, o Exército recebeu propostas de quatro empresas – nacionais e estrangeiras – interessadas em participar da concorrência para o desenvolvimento do 4×4.

A definição da empresa vencedora será ainda em 2015 e a previsão é de que os primeiros veículos deverão estar prontos seis meses após a assinatura do contrato. Depois dessas três versões, virão outras. “Atualmente, o Exército necessita obter 60 novas viaturas por ano, até 2035”, afirma o Coronel Ruffo.

VBTP Guarani

Veículos Guarani ajudam na pacificação de favelas e na defesa das fronteiras

Dos 158 veículos Guarani entregues ao Exército Brasileiro, 50 já estão em operação. Os veículos estão sendo utilizados atualmente no Complexo da Maré, conjunto de favelas no Rio de Janeiro onde as forças de segurança atuam no processo de pacificação.

Em 17 de março, outros exemplares dessas viaturas seguiram para o Mato Grosso do Sul, onde passaram a integrar a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. Ali, os blindados são utilizados em ações de combate ao crime organizado na faixa de fronteira, realizadas no âmbito do Sistema de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron).

VBTP Guarani (9)

O Guarani tem capacidade para 11 homens – nove combatentes, um atirador e um condutor. O design modular permite a incorporação de diferentes torres, armas, sensores e sistemas de comunicações no mesmo veículo. Por isso, ganha em versatilidade, podendo ser empregado em operações militares de ataque, defesa, patrulhamento e missões de paz.

Fonte: Diálogo

Sinopse: Terceira Guerra Mundial: Batalha do Amanhã

Autor: Francisco Santos

O ano é 2050, após mais de 1 século e meio de exploração dos recursos naturais não renováveis, a humanidade se encontra agora em um mundo cada vez mais sombrio, guerras no Oriente Médio e na Europa se intensificam, nações inteiras sofrem com tufões, tempestades, alagamentos e secas, o tempo está descontrolado, países inteiros no Caribe e Oceania desapareceram com aumento dos níveis das águas.

Diante do cenário catastrófico as maiores potências do mundo se reúnem para discutir o que fazer diante de tal situação, ao mesmo tempo as reservas de petróleo se esgotam no Oriente Médio, agora sem o recurso precioso que interessa as nações desenvolvidas a região perde o interesse das grandes potências, tornando a região que já tem um histórico de confrontos secular palco de novos confrontos sangrentos.

Os países reunidos em Genebra decidem que o melhor a se fazer para solucionar a crise é a criação de Uniões de países, mega blocos econômicos semelhantes a União Europeia, no entanto, integrados como um só país, um só governo e uma só política de combate a crise energética que começa a afetar o desenvolvimento e a população destes países.

Ao mesmo tempo que esta reunião acontece, a população dos países subdesenvolvidos atingidos pela crise climática e energética protestam contra seus governos, a estabilidade política garantida nas primeiras décadas do Século através da ONU não existe mais, para piorar a situação que já é caótica, a China avança militarmente contra países asiáticos, ilhas, territórios e países inteiros são anexados pela China sem nenhum pudor.

Em meio ao avanço da China, a Rússia governada por Vladimir Vokovit anexa todas as Ex-Repúblicas Soviéticas, temerosa a Polônia pede ajuda a OTAN e União Europeia e teme uma nova invasão ao seu território, como ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial e no pós-guerra que terminou com a URSS invadindo o país, mas EUA e Europa sabem que não poderão apoiar uma guerra na Europa pelo fato de não possuírem recursos suficientes para um conflito que pode durar meses ou anos, apesar das reservas americanas de petróleo e da produção baixa em estados como Califórnia e no Golfo do México, tanto os americanos quanto os europeus sabem que precisam guardar suas reservas para se defenderem de ataques diretos a seus territórios, com isso os pequenos países da Europa, toda a África e países subdesenvolvidos estão desprotegidos, a OTAN agora não representa mais uma força militar de dissuasão.

Com a queda do equilíbrio geopolítico mundial, potências econômicas expandem seus territórios em busca de recursos naturais quase esgotados, com os EUA não é diferente, o país americano fechou um acordo político criando a Federação das Américas formando ate então o maior Bloco Político Econômico que o mundo já viu, do Canadá ao Panamá e incluindo o Chile aqui na América do Sul, o bloco possui um presidente que tem mandato de 4 anos e é eleito pelo Conselho de Países que é formado por Senadores de todos os membros da federação, o presidente é a autoridade máxima, defesa, política e economia estão subordinados a ele, os países agora são estados e os estados federados e províncias agora são departamentos dos agora Estados Unidos da Federação das Américas.

No entanto, algo pode estragar os planos americanos, o Brasil e todos os países da América do Sul se recusaram a aderir a esta união criada pelos EUA, segundo os presidentes dos países sul-americanos os EUA apenas querem colonizar os países para que forneçam-lhe recursos naturais enquanto os países são usados pelos americanos, no entanto o Chile seduzido por promessas de investimentos bilionários e proteção militar contra invasões de Bolívia e Peru que reivindicam partes do território chileno aderiu o bloco, tornando-se ate agora o único país da América do Sul a aderir.

Insatisfeito com a recusa do Brasil e dos países que formam a Amazônia de aderir ao bloco, os EUA farão de tudo para que os recursos naturais destes países sejam seus a qualquer custo.

O Livro deve ser lançado ainda este ano.

Guerra entre Brasil e Venezuela: Guerra Civil Norte-Sul – Continuação

O texto a seguir é uma simulação, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Guerra entre Brasil e Venezuela : Guerra Civil Norte-Sul (Parte I)

Por Francisco Santos

EUA e União Europeia declaram apoio a frente Sul e condenam intervenção da Venezuela

Após a Venezuela enviar 150 mil milicianos comunistas para o norte do país, os EUA e União Europeia condenaram totalmente a intervenção venezuelana tratada como declaração de guerra ao Brasil, a situação é grave o país esta dividido em uma Guerra Civil jamais vista nos tempos atuais.

O Presidente dos EUA, Barack Obama classificou a intervenção da Venezuela como inaceitável e convocou o Tratado do Rio de Janeiro, onde o tratado estabelece que qualquer invasão a um membro do tratado consiste em declaração de guerra a todos os signatários, no Congresso Americano os Repúblicanos opositores do governo, querem uma intervenção militar rápida no Brasil para conter o avanço dos comunistas do Nordeste e parte dos estados do norte do país.

A União Europeia condenou a interferência da Venezuela no Brasil e já de propôs a ajudar a frente sulista com armas e a venda de equipamentos militares sem restrições a frente sul, que é tida pela Europa como a única saída do Brasil para evitar as políticas marxistas de Dilma e o consequente afundamento da economia global com a falência multipla de empresas brasileiras por conta da ingerência do governo Dilma que em apenas 5 anos mergulhou o país em uma de suas piores crises em mais de 20 anos.

Foro de São Paulo realiza ataques a Quartéis de São Paulo

Sindicalistas e simpatizantes do marxismo que residem em SP  realizaram ataques a quartéis da Polícia Militar e da Frente Paulista de Libertação Comunista, todos os ataques foram coordenados pelo Foro de São Paulo criado para destruir as instituições políticas e apoiar um golpe marxista em toda a América Latina anos atrás.

O ex-presidente Lula e a renegada presidente Dilma que se refugiam em Fortaleza ordenaram ataques de guerilha a tropas paulistas, mais de 5 mil militares ficaram feridos em explosões de carro bomba (especialisdade dos guerrilheiros PTistas) e mais de 300 perderam sua vida em um ato terrorista de uma organização terrorista implantada no país a mais de 20 anos e que era blindada a mais de 12 pelos governos marxistas do PT.

Tropas Sulistas avançam em direção a Salvador – BA

Demostracao-do-efetivo-das-forcas-armadas-para-copa-2014-WR-4-1024x679

Tropas sulistas comandadas pelo General Sampaio líder do movimento sulista na Frente de Libertação Contra o Comunismo em Minas Gerais seguem para Bahia e cercam a cidade de Salvador, os combates na região metropolitana da cidade são sangrentas, milicianos marxistas, moradores da cidades, soldados enviados pela Venezuela e a Polícia Militar da Bahia fiél ao governador Baiano aliado de Dilma e Lula defendem a cidade com unhas e dentes.

2 Navios da Marinha do Brasil fazem um bloqueio naval, os navios tem ordens para afundar qualquer navio que entre ou saia de Salvador, bombardeios dos navios e da FAB são proibidos para evitar destruição de patrimônio histórico, os combates ocorrem pelas vielas e ruas das cidades metropolitanas, as tropas bainas estão acuadas, centenas de mortos empilhados nas vielas históricas das cidades que fazem fronteira com Salvador fazem barricada para o avanço das tropas Mineiras e Gaúchas que avançam ferozmente rumo a cidade.

Salvador é uma cidade estratégica para a Frente Sulista, é a maior e mais populosa cidade do nordeste, sua tomada corta uma rota de abastecimento da insdustria baiana as tropas rebeldes marxistas e tropas invasoras da Venezuela. Será um duro golpe.

Mato Grosso e Rondônia enviam 25 mil homens ao Pará

{329291A8-439D-479C-BE16-241481DE998A}_PM - policiais da COE net

Mato Grosso e Rondônia decidiram se entrar na Guerra Civil a favor dos Sulistas e enviaram juntos uma força de 25 mil homens de suas forças policias e recrutas em cidades dos estados para tomar o Pará que declarou apoio a Dilma e ao Foro de São Paulo, as tropas seguem para o estado pró-Dilma para assegurarem que o estado não ajude o Estado do Amazonas que declarou apoio a Dilma mas sofre resistência dos militares das Forças Armadas que combatem a Polícia Militar Amazonense  e milicianos venezuelanos.

Roraima troca tiros com tropas Venezuelas 

Milicianos venezuelanos que tentavam cruzar a fronteira de Roraima que é pró-Sulistas foram surpreendidos por militares da Polícia Militar e soldados de fronteira que abriram fogo imediatamente forçando o recuo dos milicianos, a Venexuela vem infiltrando milicianos por várias rotas incluindo países como Bolívia e Paraguai.

Opositores da Venezuela recebem armas da Industria Bélica Sulista … Continua

Siga o escritor das simulações nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/TCFrancisco

Add no Facebook ou  siga: https://www.facebook.com/francisco.santos53

Curta nossa página e seja avisado quando a nova simulação sair: https://www.facebook.com/GuerraArmas

Guerra entre Brasil e Venezuela : Guerra Civil Norte-Sul

Os Fatos a seguir constituem uma simulação de eventos ficticios, tivemos problemas com pessoas “ignorantes” e sem escrupulos que usaram nossa simulação para depreciar a imagem do Blog a tratando como real (Só uma pessoa ignorante para achar que 15 de março já passou), certamente estas pessoas são militantes PTistas que tentam retirar esta postagem do ar, não nos curvaremos a nenhum governo seja ele PTista, PSDBista ou qualquer que seja, o nosso país é livre e democrático.

Confira a continuação: Guerra Civil Norte-Sul (Parte II)

Por Francisco Santos

A economia esta em colapso, a inflação já esta na casa dos 10%, uma crise de desemprego assola o país, o governo reduz os benefícios trabalhistas levando o país a maior crise do século XXI, o mercado se desespera e a situação política é caótica.

A Petrobras esta falida, sem recursos e com investigações em todos os países que atua, o BNDES esta com um rombo de mais de 100 bilhões, a Eletrobrás esta completamente falida e a Caixa E. F, vê seus clientes sacando suas poupanças antes que o governo as confisque.

15 de Março de 2015

Uma manifestação de nível nacional leva milhões as ruas, em um só coro no país ouve-se um único clamor popular: Impeachment já!

No entanto militantes do MST convocados pelo ex-presidente Lula fizeram uma marcha paralela, o resultado não poderia ser outro, ambos se confrontaram a situação saiu do controle, não existe mais formas de governabilidade, a anarquia se formou, governadores de oposição  já dizem não reconhecerem mais a autoridade de Dilma, não existe outra forma, o Exército foi convocado para o Estado de Sítio, no entanto o Congresso condenou a atitude de Dilma, mas como a lei prevê autonomia ao presidente para decreta-la em 30 dias nada pode ser feito, mas segundo os parlamentares de governo e oposição a medida não será prorrogada no congresso. As tropas vão as ruas.

Governador de Minas Gerais é deposto

Em meio ao descontentamento com o PT e seus governantes, a população de Belo Horizonte que votou em peso em Aécio Neves na eleição presidêncial de 2014 descontente com as ações de desgoverno, falência da CEMIG que era ate então a maior companhia energética do país e falência do BDMG depuseram o governador Fernando Pimentel do PT que venceu as eleições graças aos votos dos beneficiários do Bolsa-Família no norte e sul de Minas (Apesar de BH ser a cidade mais populosa e ter votado em massa em Aécio, a capital mineira  representa pouco mais de 10% da população do Estado).

Uma enorme manifestação em frente ao Palácio Tiradentes saiu do controle quando a população invadiu o palácio e arrancou o governador de seu gabinete, a PMMG não pode reagir e alguns dizem que não quis reagir.

Polícia Militar de Minas Gerais toma o 12º Batalhão de Infantaria do Exército

Novamente na história a PMMG toma o 12º BI em Belo Horizonte, segundo o Comandante de Policiamento da Capital, Ten. Cel. Sampaio, não ocorreu resistência da Tropa do EB, o general de Brigada Orlando Santos assumiu o comando da PMMG em todo o Estado e colocou seus homens lutando lado a lado com os PMs.

A notícia se espalhou por todo o país, jornais estampavam em suas manchetes: Os mineiros pegaram em armas contra o governo!

Minas redimiu-se por ter decidido a eleição em favor do PT em 2014 e novamente na história deflagra uma revolução para salvar o país da desgraça comunista.

Sudeste e Sul aderem a revolução

Tropas Gaúchas, Paranaenses, Catarinenses, Paulistas, Cariocas e Capixabas marcham suas tropas para Brasília, Goiás, Tocantins  e Mato Grosso do Sul também aderem a revolução, tropas vem de todo o país rumo a Brasília que agora esta sitiada, as tropas exigem a rendição formal e escrita da presidente Dilma e de todos os representantes dos 3 poderes.

Nordeste e Norte declaram apoio ao Governo Fedederal

Em meio ao sítio Dilma e todo o alto escalão do PT incluindo o ex-presdente Lula e todos os ministros de governo embarcaram em um avião KC-130 da FAB e se refugiaram em Fortaleza, alguns militares leais ao governo embarcaram com a presidente, militares do norte e nordeste declararam apoio total a Dilma e seu governo.

Dilma transfere a capital para Fortaleza e o país esta dividido em 2 lados, Norte e Sul, a revolução já esta sendo chamada pela mídia de Revolução Norte-Sul ou Guerra Civil Norte-Sul pela imprensa internacional.

Roraima, Acre e Militares do Amazonas declaram apoio ao Sul

Ao saberem da revolução os militares da Amazonas tomaram todos os postos da Polícia Ambiental do Amazonas e já anunciaram que qualquer militar que apoie Dilma ou o PT são inimigos do Brasil e serão combatidos com toda a força dos  verdadeiros patriotas.

Roraima e Acre posicionaram seus efetivos da PM e do Exército para a fronteira pois uma invasão dos estados comunistas do Norte-Nordeste é inevitável.

Dilma pede ajuda a Venezuela 

Dilma pediu ajuda de seu amigo comunista venezuelano Nicolás Maduro, que enviou 150 mil soldados comunistas para o norte e nordeste do país, imediatamente a Marinha do Brasil enviou todos os seus navios operacionais para o Norte do país e ordenou que toda e qualquer embarcação venezuelana seja afundada imediatamente, seja civil ou militar.

A FAB também enviou aviões de guerra para realizar bombardeios sob Fortaleza e todas as cidades que não reconhecerem o Sul como vencedor da guerra, a estratégia é intimidar os nordestinos com o poderio militar da FAB.

EUA e União Europeia declaram apoio a frente Sul e condenam intervenção da Venezuela… Confira a continuação: Guerra Civil Norte-Sul (Parte II)

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de mais simulações.
https://www.facebook.com/GuerraArmas

Editor-Chefe lança sua página oficial no Facebook

1511556_737878646263711_5277878439572183598_o

Francisco de A. dos Santos – Editor-Chefe e fundador do Blog.


Francisco Santos lançou agora á pouco sua nova página de “Personalidade Pública” após vários pedidos de leitores que queriam conhecer o escritor das Simulações de Guerras e textos criticos além de ser responsáveis por matérias especiais como: 1º BGP a fortaleza de Belo Horizonte entre outras.

Francisco Santos promete seguir sugestões de leitores quanto a novas simulações e responder a críticas e elogios através da sua nova página, além disso promete transparência em seu novo projeto que é tornar-se candidato a vereador de Belo Horizonte a apresentar projetos em segurança pública como Armar a Guarda Municipal, não perca a oportunidade de também poder conversar e enviar sua opinião ao homem que criou este que é o maior Blog de Defesa do Brasil com mais de 1 milhão de leitores por ano (Não confundir com sites de defesa).

Clique aqui e curta a página.

%d blogueiros gostam disto: