Arquivos do Blog

Tensão com caças da Venezuela na fronteira com Roraima

Resultado de imagem para caça sukhoi venezuelano

Os sobrevoos de dois potentes caças russos Sukhoi SU da Força Aérea da Venezuela na fronteira com o Brasil e a movimentação de caças da Força Aérea Brasileira (FAB) no dia seguinte causam tensão na região norte de Roraima.

A FAB enviou para a base aérea do Estado sete caças AMX – dois na terça e outros cinco na última quinta-feira – além de dois Hércules C 130. Em nota, a FAB informa apenas que trata-se de um exercício.

Mas fontes militares da base informam que os caças da Venezuela teriam invadido o espaço aéreo do Brasil no início da semana, na região de Pacaraima. E que o governo de Nicolas Maduro já teria pedido desculpas informais ao Ministério da Defesa e Aeronáutica comunicando ter sido um incidente involuntário.

Cobrada sobre a situação, ainda um mistério, a FAB informou em outro e-mail que não houve registros de invasão.

O que causou mais mistério é que a Aeronáutica costuma avisar a imprensa de exercícios, o que não ocorreu neste caso. Ontem o site da FAB saiu do ar, e equipe em Brasília trabalha com sistema operacional de emergência.

Os AMX são para apoio operacional. O Brasil está desguarnecido de poder militar aéreo, em parte. Os Mirage foram ‘aposentados’, e os atuais F-5 da frota têm pouco poder de fogo e alcance.

 

Fonte: Uol Notícias

Anúncios

Você sabe qual a hierarquia da Aeronáutica?

Com essa reportagem, a gente manda pelos ares a nossa trilogia sobre a hierarquia das Forças Armadas. Vamos voar: assim como o Exército e a Marinha, a Aeronáutica possui mais de 20 postos, espalhados por 22 grupos diferentes. Dentre esses grupos, os que efetivamente entram em combate são o Quadro de Infantaria e o Quadro de Aviação.

A Infantaria é o braço da Aeronáutica que atua em terra firme, cuidando da segurança de bases aéreas e de aeroportos em tempos de paz e pegando em armas para batalhas terrestres durante as guerras – apesar de recebem treinamento de combate, os militares da Infantaria da Aeronáutica têm função primordial de defesa. Já o Quadro de Aviação, como o próprio nome diz, reúne os oficiais que pilotam os aviões militares do país. Para fazer parte desse grupo, é preciso ser no mínimo tenente, estudando por pelo menos quatro anos na Academia da Força Aérea e passando por um curso específico para voar.

Os aviões vão para o ar com uma estrutura bem enxuta. Em modelos pequenos, como os caças F-5, só há espaço para uma pessoa, que é ao mesmo tempo piloto e comandante da aeronave, que responde diretamente às ordens do líder do esquadrão ou do grupo. Em aeronaves maiores, como as usadas para transporte de tropas, costuma haver um primeiro-piloto que atua como comandante e um segundo-piloto ou subcomandante. Para subir de posto na hierarquia da Aeronáutica, o militar precisa ter bastante tempo de carreira, passar por avaliações de desempenho e participar de diversos cursos de atualização – o processo é bem parecido com o que ocorre no Exército e na Marinha.

Um último detalhe: é bom esclarecer que nem sempre a maior patente está ligada ao comando do avião mais poderoso. Como os comandantes das aeronaves são pilotos, eles precisam fazer cursos específicos para aprender a operar novos modelos. Por isso, pode acontecer de um capitão mais bem treinado comandar um avião invocadão no lugar de um coronel que não fez os cursos necessários.

Livres para voar
Para pilotar um avião, é preciso passar por um curso específico e chegar a tenente

 

Posto

Soldado

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Ocupando o posto mais baixo da hierarquia, o soldado cuida da segurança das bases da Aeronáutica

Posto

Taifeiro

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

É um tipo de soldado que ajuda nos serviços de cozinha nas bases aéreas

Posto

Cabo

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Lidera as esquadras, pequenas unidades formadas por um cabo e quatro soldados

Posto

Terceiro-Sargento

Segundo-Sargento

Primeiro-Sargento

Suboficial

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Militares com essas patentes comandam os chamados grupos de combate, que reúnem duas esquadras

Quadro de aviação

O Quadro de Aviação não possui os chamados “graduados”, nome dado aos militares de menor patente. Para ingressar nessa arma, o candidato precisa fazer um curso de quatro anos na Academia de Força Aérea para aprender a pilotar. Depois da formatura, ele sai do curso como tenente

Posto

Segundo-Tenente

Primeiro-Tenente

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Na infantaria, esses militares chefiam pelotões, formados por três grupos de combate

Quadro de aviação

Quando o militar chega a segundo-tenente, ele já pode pilotar aviões

Posto

Capitão

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Lidera as companhias, englobando três pelotões, com cerca de 90 militares

Quadro de aviação

Comanda as esquadrilhas, pequenos agrupamentos de aeronaves. Geralmente, elas servem para a formação de pilotos

Posto

Major

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Responsável pelos batalhões de Infantaria, que têm de 180 a 450 militares

Quadro de aviação

Lidera os esquadrões, grupos com em média três ou quatro aviões do mesmo tipo — um conjunto de caças F-5, por exemplo

Posto

Tenente-Coronel

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Comanda os batalhões especiais de infantaria, unidades estratégicas, que podem ser deslocadas para regiões de fronteira

Quadro de aviação

Comanda os grupos, conjuntos de três ou quatro aviões que podem ser de tipos diferentes — um grupo de caças F-5 e Mirage, por exemplo

Posto

Coronel

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

O militar da mais alta patente possível nesse braço da Aeronáutica é responsável pelo comando terrestre de toda a Infantaria

Quadro de aviação

Responsável por uma das 19 bases aéreas do Brasil. Elas podem ser consideradas os “quartéis” da Aeronáutica

Posto

Brigadeiro

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

A partir dessa graduação, não há postos para militares de hierarquia superior na Infantaria. Quem quiser seguir carreira pode mudar para a Aviação, mas precisa estudar na Academia de Força Aérea. Como por lá só podem iniciar o curso pessoas com no máximo 20 anos de idade, os poucos aviadores que vêm da Infantaria são cabos ou soldados, postos em que a média de idade é baixa

Quadro de aviação

Comanda uma das três Forças Aéreas (FAE) que compõem a Aeronáutica: uma cuida dos helicópteros, outra dos aviões de transporte e a terceira de aeronaves de ataque, como os caças

Posto

Major-Brigadeiro

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

A partir dessa graduação, não há postos para militares de hierarquia superior na Infantaria. Quem quiser seguir carreira pode mudar para a Aviação, mas precisa estudar na Academia de Força Aérea. Como por lá só podem iniciar o curso pessoas com no máximo 20 anos de idade, os poucos aviadores que vêm da Infantaria são cabos ou soldados, postos em que a média de idade é baixa

Quadro de aviação

Responsável por um dos sete Comandos Aéreos Regionais (Comar) do país, que juntos supervisionam todo o espaço aéreo do Brasil

Posto

Tenente-Brigadeiro

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

A partir dessa graduação, não há postos para militares de hierarquia superior na Infantaria. Quem quiser seguir carreira pode mudar para a Aviação, mas precisa estudar na Academia de Força Aérea. Como por lá só podem iniciar o curso pessoas com no máximo 20 anos de idade, os poucos aviadores que vêm da Infantaria são cabos ou soldados, postos em que a média de idade é baixa

Quadro de aviação

Supervisiona o Comando Geral do Ar (Comgar), que reúne todas as cerca de 800 aeronaves de combate e decide as ações militares da Aeronáutica

Posto

Tenente-Brigadeiro escolhido pelo presidente da República

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Entre os oficiais de mais alta patente, um deles é escolhido para comandar toda a Aeronáutica. Acima dele, pode existir o marechal-do-ar, cargo criado apenas em tempos de guerra

Posto

Ministro da Defesa

Divisões da tropa

Quadro de infantaria

Respondendo diretamente ao presidente, o ministro da Defesa dirige as Forças Armadas e toma as decisões mais importantes em relação à organização das tropas. Ele não precisa ser, necessariamente, um militar.

 

Fonte: Mundo Estranho

Imprensa nacional destaca ‘labaredas’ de helicóptero da presidência

helicoptero presidencial solta labareda de fogo

Um dos helicópteros usados para transportar a presidente Dilma Rousseff soltou uma labareda de fogo em região próxima às suas hélices (sic) nos momentos que antecederam sua decolagem no final da tarde desta quinta-feira (24).

O voo partiu do Palácio da Alvorada até a base aérea de Brasília, de onde a presidente prosseguiu viagem rumo aos Estados Unidos. Em sua visita ao país, a presidente vai participar da 70ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) e só volta ao Brasil na próxima terça (29), quando deve formalizar o anuncio da reforma ministerial.

Antes da labareda desta quinta-feira (24), ocorreram duas anormalidades com helicópteros da Presidência em menos de um mês.

No começo do mês, uma das aeronaves, que levaria Dilma para Natal não saiu do lugar quando a presidente já estava embarcada. Em poucos minutos uma fumaça começou a sair do motor e Dilma foi obrigada a descer e percorrer o trajeto de carro.

Uma semana antes, o mesmo helicóptero apresentou uma pane elétrica e passou por uma manutenção no próprio gramado do Planalto. Na ocasião, a presidente tinha acabado de chegar de Nova York, onde fez o discurso de abertura da assembleia-geral da ONU.

A Presidência possui três helicópteros de modelos parecidos. O modelo usado nesta noite foi o H-34 Super Puma.

FONTE: R7

Sinopse: Terceira Guerra Mundial: Batalha do Amanhã

Autor: Francisco Santos

O ano é 2050, após mais de 1 século e meio de exploração dos recursos naturais não renováveis, a humanidade se encontra agora em um mundo cada vez mais sombrio, guerras no Oriente Médio e na Europa se intensificam, nações inteiras sofrem com tufões, tempestades, alagamentos e secas, o tempo está descontrolado, países inteiros no Caribe e Oceania desapareceram com aumento dos níveis das águas.

Diante do cenário catastrófico as maiores potências do mundo se reúnem para discutir o que fazer diante de tal situação, ao mesmo tempo as reservas de petróleo se esgotam no Oriente Médio, agora sem o recurso precioso que interessa as nações desenvolvidas a região perde o interesse das grandes potências, tornando a região que já tem um histórico de confrontos secular palco de novos confrontos sangrentos.

Os países reunidos em Genebra decidem que o melhor a se fazer para solucionar a crise é a criação de Uniões de países, mega blocos econômicos semelhantes a União Europeia, no entanto, integrados como um só país, um só governo e uma só política de combate a crise energética que começa a afetar o desenvolvimento e a população destes países.

Ao mesmo tempo que esta reunião acontece, a população dos países subdesenvolvidos atingidos pela crise climática e energética protestam contra seus governos, a estabilidade política garantida nas primeiras décadas do Século através da ONU não existe mais, para piorar a situação que já é caótica, a China avança militarmente contra países asiáticos, ilhas, territórios e países inteiros são anexados pela China sem nenhum pudor.

Em meio ao avanço da China, a Rússia governada por Vladimir Vokovit anexa todas as Ex-Repúblicas Soviéticas, temerosa a Polônia pede ajuda a OTAN e União Europeia e teme uma nova invasão ao seu território, como ocorreu durante a Segunda Guerra Mundial e no pós-guerra que terminou com a URSS invadindo o país, mas EUA e Europa sabem que não poderão apoiar uma guerra na Europa pelo fato de não possuírem recursos suficientes para um conflito que pode durar meses ou anos, apesar das reservas americanas de petróleo e da produção baixa em estados como Califórnia e no Golfo do México, tanto os americanos quanto os europeus sabem que precisam guardar suas reservas para se defenderem de ataques diretos a seus territórios, com isso os pequenos países da Europa, toda a África e países subdesenvolvidos estão desprotegidos, a OTAN agora não representa mais uma força militar de dissuasão.

Com a queda do equilíbrio geopolítico mundial, potências econômicas expandem seus territórios em busca de recursos naturais quase esgotados, com os EUA não é diferente, o país americano fechou um acordo político criando a Federação das Américas formando ate então o maior Bloco Político Econômico que o mundo já viu, do Canadá ao Panamá e incluindo o Chile aqui na América do Sul, o bloco possui um presidente que tem mandato de 4 anos e é eleito pelo Conselho de Países que é formado por Senadores de todos os membros da federação, o presidente é a autoridade máxima, defesa, política e economia estão subordinados a ele, os países agora são estados e os estados federados e províncias agora são departamentos dos agora Estados Unidos da Federação das Américas.

No entanto, algo pode estragar os planos americanos, o Brasil e todos os países da América do Sul se recusaram a aderir a esta união criada pelos EUA, segundo os presidentes dos países sul-americanos os EUA apenas querem colonizar os países para que forneçam-lhe recursos naturais enquanto os países são usados pelos americanos, no entanto o Chile seduzido por promessas de investimentos bilionários e proteção militar contra invasões de Bolívia e Peru que reivindicam partes do território chileno aderiu o bloco, tornando-se ate agora o único país da América do Sul a aderir.

Insatisfeito com a recusa do Brasil e dos países que formam a Amazônia de aderir ao bloco, os EUA farão de tudo para que os recursos naturais destes países sejam seus a qualquer custo.

O Livro deve ser lançado ainda este ano.

Guerra entre Brasil e Venezuela: Guerra Civil Norte-Sul – Continuação

O texto a seguir é uma simulação, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

Guerra entre Brasil e Venezuela : Guerra Civil Norte-Sul (Parte I)

Por Francisco Santos

EUA e União Europeia declaram apoio a frente Sul e condenam intervenção da Venezuela

Após a Venezuela enviar 150 mil milicianos comunistas para o norte do país, os EUA e União Europeia condenaram totalmente a intervenção venezuelana tratada como declaração de guerra ao Brasil, a situação é grave o país esta dividido em uma Guerra Civil jamais vista nos tempos atuais.

O Presidente dos EUA, Barack Obama classificou a intervenção da Venezuela como inaceitável e convocou o Tratado do Rio de Janeiro, onde o tratado estabelece que qualquer invasão a um membro do tratado consiste em declaração de guerra a todos os signatários, no Congresso Americano os Repúblicanos opositores do governo, querem uma intervenção militar rápida no Brasil para conter o avanço dos comunistas do Nordeste e parte dos estados do norte do país.

A União Europeia condenou a interferência da Venezuela no Brasil e já de propôs a ajudar a frente sulista com armas e a venda de equipamentos militares sem restrições a frente sul, que é tida pela Europa como a única saída do Brasil para evitar as políticas marxistas de Dilma e o consequente afundamento da economia global com a falência multipla de empresas brasileiras por conta da ingerência do governo Dilma que em apenas 5 anos mergulhou o país em uma de suas piores crises em mais de 20 anos.

Foro de São Paulo realiza ataques a Quartéis de São Paulo

Sindicalistas e simpatizantes do marxismo que residem em SP  realizaram ataques a quartéis da Polícia Militar e da Frente Paulista de Libertação Comunista, todos os ataques foram coordenados pelo Foro de São Paulo criado para destruir as instituições políticas e apoiar um golpe marxista em toda a América Latina anos atrás.

O ex-presidente Lula e a renegada presidente Dilma que se refugiam em Fortaleza ordenaram ataques de guerilha a tropas paulistas, mais de 5 mil militares ficaram feridos em explosões de carro bomba (especialisdade dos guerrilheiros PTistas) e mais de 300 perderam sua vida em um ato terrorista de uma organização terrorista implantada no país a mais de 20 anos e que era blindada a mais de 12 pelos governos marxistas do PT.

Tropas Sulistas avançam em direção a Salvador – BA

Demostracao-do-efetivo-das-forcas-armadas-para-copa-2014-WR-4-1024x679

Tropas sulistas comandadas pelo General Sampaio líder do movimento sulista na Frente de Libertação Contra o Comunismo em Minas Gerais seguem para Bahia e cercam a cidade de Salvador, os combates na região metropolitana da cidade são sangrentas, milicianos marxistas, moradores da cidades, soldados enviados pela Venezuela e a Polícia Militar da Bahia fiél ao governador Baiano aliado de Dilma e Lula defendem a cidade com unhas e dentes.

2 Navios da Marinha do Brasil fazem um bloqueio naval, os navios tem ordens para afundar qualquer navio que entre ou saia de Salvador, bombardeios dos navios e da FAB são proibidos para evitar destruição de patrimônio histórico, os combates ocorrem pelas vielas e ruas das cidades metropolitanas, as tropas bainas estão acuadas, centenas de mortos empilhados nas vielas históricas das cidades que fazem fronteira com Salvador fazem barricada para o avanço das tropas Mineiras e Gaúchas que avançam ferozmente rumo a cidade.

Salvador é uma cidade estratégica para a Frente Sulista, é a maior e mais populosa cidade do nordeste, sua tomada corta uma rota de abastecimento da insdustria baiana as tropas rebeldes marxistas e tropas invasoras da Venezuela. Será um duro golpe.

Mato Grosso e Rondônia enviam 25 mil homens ao Pará

{329291A8-439D-479C-BE16-241481DE998A}_PM - policiais da COE net

Mato Grosso e Rondônia decidiram se entrar na Guerra Civil a favor dos Sulistas e enviaram juntos uma força de 25 mil homens de suas forças policias e recrutas em cidades dos estados para tomar o Pará que declarou apoio a Dilma e ao Foro de São Paulo, as tropas seguem para o estado pró-Dilma para assegurarem que o estado não ajude o Estado do Amazonas que declarou apoio a Dilma mas sofre resistência dos militares das Forças Armadas que combatem a Polícia Militar Amazonense  e milicianos venezuelanos.

Roraima troca tiros com tropas Venezuelas 

Milicianos venezuelanos que tentavam cruzar a fronteira de Roraima que é pró-Sulistas foram surpreendidos por militares da Polícia Militar e soldados de fronteira que abriram fogo imediatamente forçando o recuo dos milicianos, a Venexuela vem infiltrando milicianos por várias rotas incluindo países como Bolívia e Paraguai.

Opositores da Venezuela recebem armas da Industria Bélica Sulista … Continua

Siga o escritor das simulações nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/TCFrancisco

Add no Facebook ou  siga: https://www.facebook.com/francisco.santos53

Curta nossa página e seja avisado quando a nova simulação sair: https://www.facebook.com/GuerraArmas

Operação Carranca IV começou nesta segunda-feira

Op Carranva IV

Foi dada a largada para o maior exercício de Busca e Salvamento (SAR) da América Latina. A Operação Carranca IV, que acontece na Base Aérea de Florianópolis (BAFL), é dividida em duas etapas: teórica e operacional. A primeira fase começou nesta segunda-feira (02/03) e é denominada de Avaliação Operacional (AVOP).

Até quinta-feira (05/03) serão realizadas avaliações teóricas, práticas e físicas com os militares envolvidos. O objetivo é analisar o nível de conhecimento teórico, a capacidade física e a operacionalidade dos representantes dos Centros de Coordenação de Salvamento Aeronáuticos (ARCC).

Nesta fase, os Esquadrões Aéreos e os componentes dos Salvaeros participam de palestras sobre recursos disponíveis e perspectivas de futuro para o Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico Brasileiro. Os ARCC serão divididos em grupos, por meio de sorteio. A melhor equipe e o melhor militar receberão prêmios.

Na segunda etapa da Carranca IV, chamada de Exercício de Integração (EXINT), serão realizadas simulações de operações de busca e salvamento. “Vamos aprimorar os conhecimentos nacionais e internacionais tanto na parte de coordenação de busca e salvamento quanto na execução, em que estarão envolvidos helicópteros, aeronaves e embarcações”, ressalta o Tenente-Coronel Jair Sampaio, um dos coordenadores da Operação.

Confira a Entrevista com o Tenente-Coronel Jair Sampaio, Conheça mais a operação acessando o blog www.carranca.aer.mil.br

Guerra entre Brasil e Venezuela : Guerra Civil Norte-Sul

Os Fatos a seguir constituem uma simulação de eventos ficticios, tivemos problemas com pessoas “ignorantes” e sem escrupulos que usaram nossa simulação para depreciar a imagem do Blog a tratando como real (Só uma pessoa ignorante para achar que 15 de março já passou), certamente estas pessoas são militantes PTistas que tentam retirar esta postagem do ar, não nos curvaremos a nenhum governo seja ele PTista, PSDBista ou qualquer que seja, o nosso país é livre e democrático.

Confira a continuação: Guerra Civil Norte-Sul (Parte II)

Por Francisco Santos

A economia esta em colapso, a inflação já esta na casa dos 10%, uma crise de desemprego assola o país, o governo reduz os benefícios trabalhistas levando o país a maior crise do século XXI, o mercado se desespera e a situação política é caótica.

A Petrobras esta falida, sem recursos e com investigações em todos os países que atua, o BNDES esta com um rombo de mais de 100 bilhões, a Eletrobrás esta completamente falida e a Caixa E. F, vê seus clientes sacando suas poupanças antes que o governo as confisque.

15 de Março de 2015

Uma manifestação de nível nacional leva milhões as ruas, em um só coro no país ouve-se um único clamor popular: Impeachment já!

No entanto militantes do MST convocados pelo ex-presidente Lula fizeram uma marcha paralela, o resultado não poderia ser outro, ambos se confrontaram a situação saiu do controle, não existe mais formas de governabilidade, a anarquia se formou, governadores de oposição  já dizem não reconhecerem mais a autoridade de Dilma, não existe outra forma, o Exército foi convocado para o Estado de Sítio, no entanto o Congresso condenou a atitude de Dilma, mas como a lei prevê autonomia ao presidente para decreta-la em 30 dias nada pode ser feito, mas segundo os parlamentares de governo e oposição a medida não será prorrogada no congresso. As tropas vão as ruas.

Governador de Minas Gerais é deposto

Em meio ao descontentamento com o PT e seus governantes, a população de Belo Horizonte que votou em peso em Aécio Neves na eleição presidêncial de 2014 descontente com as ações de desgoverno, falência da CEMIG que era ate então a maior companhia energética do país e falência do BDMG depuseram o governador Fernando Pimentel do PT que venceu as eleições graças aos votos dos beneficiários do Bolsa-Família no norte e sul de Minas (Apesar de BH ser a cidade mais populosa e ter votado em massa em Aécio, a capital mineira  representa pouco mais de 10% da população do Estado).

Uma enorme manifestação em frente ao Palácio Tiradentes saiu do controle quando a população invadiu o palácio e arrancou o governador de seu gabinete, a PMMG não pode reagir e alguns dizem que não quis reagir.

Polícia Militar de Minas Gerais toma o 12º Batalhão de Infantaria do Exército

Novamente na história a PMMG toma o 12º BI em Belo Horizonte, segundo o Comandante de Policiamento da Capital, Ten. Cel. Sampaio, não ocorreu resistência da Tropa do EB, o general de Brigada Orlando Santos assumiu o comando da PMMG em todo o Estado e colocou seus homens lutando lado a lado com os PMs.

A notícia se espalhou por todo o país, jornais estampavam em suas manchetes: Os mineiros pegaram em armas contra o governo!

Minas redimiu-se por ter decidido a eleição em favor do PT em 2014 e novamente na história deflagra uma revolução para salvar o país da desgraça comunista.

Sudeste e Sul aderem a revolução

Tropas Gaúchas, Paranaenses, Catarinenses, Paulistas, Cariocas e Capixabas marcham suas tropas para Brasília, Goiás, Tocantins  e Mato Grosso do Sul também aderem a revolução, tropas vem de todo o país rumo a Brasília que agora esta sitiada, as tropas exigem a rendição formal e escrita da presidente Dilma e de todos os representantes dos 3 poderes.

Nordeste e Norte declaram apoio ao Governo Fedederal

Em meio ao sítio Dilma e todo o alto escalão do PT incluindo o ex-presdente Lula e todos os ministros de governo embarcaram em um avião KC-130 da FAB e se refugiaram em Fortaleza, alguns militares leais ao governo embarcaram com a presidente, militares do norte e nordeste declararam apoio total a Dilma e seu governo.

Dilma transfere a capital para Fortaleza e o país esta dividido em 2 lados, Norte e Sul, a revolução já esta sendo chamada pela mídia de Revolução Norte-Sul ou Guerra Civil Norte-Sul pela imprensa internacional.

Roraima, Acre e Militares do Amazonas declaram apoio ao Sul

Ao saberem da revolução os militares da Amazonas tomaram todos os postos da Polícia Ambiental do Amazonas e já anunciaram que qualquer militar que apoie Dilma ou o PT são inimigos do Brasil e serão combatidos com toda a força dos  verdadeiros patriotas.

Roraima e Acre posicionaram seus efetivos da PM e do Exército para a fronteira pois uma invasão dos estados comunistas do Norte-Nordeste é inevitável.

Dilma pede ajuda a Venezuela 

Dilma pediu ajuda de seu amigo comunista venezuelano Nicolás Maduro, que enviou 150 mil soldados comunistas para o norte e nordeste do país, imediatamente a Marinha do Brasil enviou todos os seus navios operacionais para o Norte do país e ordenou que toda e qualquer embarcação venezuelana seja afundada imediatamente, seja civil ou militar.

A FAB também enviou aviões de guerra para realizar bombardeios sob Fortaleza e todas as cidades que não reconhecerem o Sul como vencedor da guerra, a estratégia é intimidar os nordestinos com o poderio militar da FAB.

EUA e União Europeia declaram apoio a frente Sul e condenam intervenção da Venezuela… Confira a continuação: Guerra Civil Norte-Sul (Parte II)

Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de mais simulações.
https://www.facebook.com/GuerraArmas

%d blogueiros gostam disto: