Blackwater (Xe) – O Maior exército mercenário do mundo.

 

A Xe, antigamente conhecida como Blackwater, é atualmente o maior exército mercenário do mundo, com diversos contratos com o governo dos EUA, atuaram muito no Iraque, causando muitas mortes de civis, pois graças a uma jogada politica, eles são imunes à Justiça iraquiana e não estão sujeitos à disciplina das forças regulares americanas.
A blackwater sempre esteve envolvida em escândalos, um dos maiores deles envolveu o dono da empresa, onde foi acusado de matar 17 concorrentes de outras empresas do tipo. O cara é do mal mesmo.

Estima-se que a empresa já faturou mais de 1 bilhão em contratos, os mercenários ganham salários bastante generosos, nem se compara com as Forças Armadas.
A Blackwater foi criada na Carolina do Norte em 1996. Nas redondezas há um pântano de águas negras, por isso o nome: Blackwater.

A empresa possui mais de 2,3 mil seguranças particulares operando em nove países, inclusive dentro dos EUA. Possuem um banco com mais de 21 mil ex-agentes e soldados de Forças Especiais e policiais aposentados, que pode convocar a qualquer momento. A companhia possui uma frota particular de mais de vinte aeronaves (incluindo “Super Tucanos”, helicópteros de combate e zepelins e aviões não-tripulados de reconhecimento). O quartel general possui 28 quilômetros quadrados em Moycock, na Carolina do Norte.

É a maior instalação militar privada do mundo! Além disso, é a mais moderna, realiza o treinamento de agentes da lei locais ou federais (FBI, por exemplo), bem como, soldados de países “amigos”.

A Blackwater está construindo outros campos pelos EUA e um de treinamento na selva filipina. Os agentes da companhia são do mundo todo (Filipinas, Chile, Nepal, Colômbia, Equador, El Salvador, Honduras, Panamá e Peru), mas de países com longa ficha de ditaduras e desrespeito aos direitos humanos. Na seleção da Blackwater, os inscritos indicam sua experiência com o fuzil AK-47, Glock 19, M-16, carabinas M-4, metralhadoras, morteiros, foguetes e granadas, assim como se já pertenceram ou atuaram como franco atiradores, pilotos, peritos em explosivos e experiência em unidades de assalto.

O dono da companhia é Erik Prince, um bilionário, com grandes doações para candidatos republicanos. Erik, embora rico, fez parte do SEAL Team 8, da Marinha.

Permaneceu por 4 anos na elite das forças armadas americanas e se associou a Al Clark para fundar a empresa. Al Clark foi durante onze anos um dos principais instrutores de tiro da elite da unidade (SEAL), ou seja, instruía a elite de atiradores da unidade de elite de todas as forças armadas da maior potência militar do planeta. O conceito da empresa nasceu para superar os campos de treinamento da elite das forças americanas.

Os dois queriam um campo de treinamento superior a tudo que existia até então. Conseguiram, hoje a Blackwater possui um centro de referencia mundial no treinamento de agentes. Inclusive, a empresa exporta tecnologia de treinamento, como alvos móveis e cenários “reais” de conflitos.

A companhia produz carros blindados e aviões espiões (chamado Polars) para o governo dos EUA, em suma, é uma empresa de porte transnacional.

Via mataleone.

Sobre Francisco Santos

Jornalista e Editor.

Publicado em 11/22/2015, em A-29 Super Tucano, EUA, Internacional, Notícias e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. ,Quando vemos estas matérias vindas ao publico vemos o mundo que vivemos e como eles governos americanos ingleses ficaram ricos escravizando viciando mercado de drogas no Vietnam etc., em 1969 o ex-presidente norte-americano Richard Nixon declarou guerra às drogas inimigo público número um dos EUA é o primeiro envolvido em armas e drogas para América, seu envolvimento vazou ele foi obrigado renunciar, mas nada foi falado, quatro décadas depois essa foi mais uma guerra de interesse que evolvia milhares de dólares varias empresas de armas que foram financiadas pelo mercado de drogas que financiou campanha de vários presidentes, foi o berço da revolução ideológica ultraliberal, que viria a se consolidar na década de 80 ate hoje. Assim dentre outros, dois direcionamentos, guerra, lucro, farsa, o Iraque foi armado com armas químicas para atacar o Ira, na Líbia em fim tudo por petróleo e venda de armas, Talvez justos ou bonzinhos seja aqueles que como a OTAN fazem guerras, armando grupos milicianos selvagens, financiam governos vendas de armas, em sua democracia hipócrita, mas agora pessoas vêm o outro lado da moeda o mundo da democracia em que se vende se mata em nome deste sistema liberal do mau, mas voltando ao passado em 1936 a General Electric recebeu aval do governo americano para atividades durante a guerra. Em colaboração com Krupp, uma empresa produtora alemã, General Electric de importância para os metais das máquinas e armas necessárias para a guerra, À IBM construiu máquinas personalizadas para os nazistas com quais eles podiam usar para controlar tudo, do fornecimento de petróleo, os horários dos trens em campos de morte até em controlar as contas bancárias de judias vítimas do Holocausto. Em setembro de 1939 quando a Alemanha invadiu a Polônia, o New York Times informou três milhões de judeus que iriam trabalhar campos da morte, e agora você me diz oque disso, são os mesmos que estão manipulando o jogo sujo do mundo, Obama não importa que esteja de frente o jogo sujo continua, assim também Henry Ford foi uns grandes lendários antissemitas e Ford recebeu uma medalha nazista, concebida de estrangeiros ilustres congresso americano etc., no mundo tem uma mão invisível que Hollywood Califórnia cinema chantagistas de Washington.

    Curtir

  2. GUERRAS….ÚLTIMOS DIAS DE UM MUNDO SEM FÉ..

    O Plano Marshall — uma solução para a pobreza?
    Depois da Segunda Guerra Mundial, a Europa ficou devastada, e muitas pessoas temiam morrer de fome. O governo dos Estados Unidos, preocupado com a popularidade do comunismo na Europa, doou grandes somas de dinheiro durante quatro anos para recuperar a indústria e a agricultura nos países que aceitaram as políticas americanas.

    A principal razão para este grande aumento da Impiedade e da falta de fé durante este Século Vinte se deve ao tempo muito especial em que vivemos. Trata-se do “tempo do fim”. É o tempo em que o Diabo e seus demônios foram expulsos do céu e lançados para a vizinhança da terra, tempo em que este iníquo está determinado a fazer todo o possível para destruir toda a crença em Jeová e nas suas preciosas promessas. A cronologia bíblica e os fatos históricos se conjugam para mostrar além de qualquer dúvida que, desde o irrompimento da Primeira Guerra Mundial, em 1914, este mundo está no seu tempo do fim.

    Ajuda estrangeira — por que não deu certo
    Ajudar nações pobres a sair da pobreza mostrou ser mais difícil do que ajudar nações ricas a se recuperar da guerra. A Europa já tinha indústria, comércio e transporte. A economia só precisava de reparos

    A causa da pobreza
    A extrema pobreza existe porque nações, governos e pessoas agem apenas para promover e proteger seus próprios interesses. Por exemplo, os governos de países ricos dão pouca prioridade à questão de acabar com a pobreza no mundo porque eles são eleitos democraticamente e precisam cuidar dos interesses de seus eleitores. Assim, proíbem que os agricultores de países pobres vendam sua produção a países ricos para que os agricultores de países ricos não sofram prejuízos. Além disso, os governantes de países ricos dão altos subsídios a seus agricultores para ajudá-los a vender mais do que os de países pobres.
    É óbvio que a causa da pobreza, ou seja, a tendência que as pessoas e os governos têm de proteger seus próprios interesses, é provocada pelo homem. O escritor bíblico Salomão expressou isso da seguinte maneira: “Homem tem dominado homem para seu prejuízo.” — Eclesiastes 8:9.

    Quem amolda seu modo de pensar? Por exemplo, antes da Segunda Guerra Mundial, Joseph Goebbels, ministro de propaganda de Hitler, assumiu o controle da indústria cinematográfica da Alemanha. Por quê? Porque se dava conta de que isso lhe daria um instrumento extremamente forte com que “influenciar as crenças do povo e, portanto, seu comportamento”. (Propaganda and the German Cinema 1933-1945 [Propaganda e o Cinema Alemão 1933-1945])

    Pois bem, no começo deste século, muitos tinham fé num futuro melhor, porque tinha havido um período relativamente longo de paz, e por causa do progresso na indústria, na ciência e na educação. Um professor universitário disse que, lá no começo dos anos 1900, acreditava-se que não era mais possível haver guerra, porque “as pessoas eram muito civilizadas”. Um ex-primeiro-ministro britânico disse a respeito do conceito que as pessoas tinham lá naquela época: “Tudo ficaria cada vez melhor. Este era o mundo em que nasci.” Mas depois declarou: “De repente, inesperadamente, certa manhã de 1914, tudo acabou.”

    Curtir

  3. Tempo do fim
    Expressão encontrada seis vezes no livro de Daniel. Refere-se a um período que marca a conclusão de um sistema de coisas e que culmina em sua destruição. Forneceu-se ao profeta Daniel uma previsão dos acontecimentos que ocorreriam no futuro distante. Depois disso, foi-lhe dito: “E quanto a ti, ó Daniel, guarda em segredo as palavras e sela o livro até o tempo do fim. Muitos o percorrerão, e o verdadeiro conhecimento se tornará abundante.” — Da 12:4.
    A respeito deste texto, o comentarista Thomas Scott, na primeira metade do século 19, fez a seguinte observação: “O anjo, em conclusão, deu a entender a Daniel que esta profecia permaneceria obscura e como ‘um livro selado’, do qual pouco se entenderia, ‘até o tempo do fim’ . . . Os fatos têm evidenciado que realmente sucedeu assim: sempre se reconheceram imensas dificuldades em muitas profecias de Daniel, e estas têm sido como ‘palavras fechadas’ até mesmo para os crentes em geral. . . . Em tempos mais recentes, muitos têm feito grandes esforços, no que concerne a investigar a história, para ilustrar as partes dessas profecias que já se realizaram e para formular, mediante a comparação delas com outros textos, algum critério do que ainda resta para se cumprir; e assim se tem fornecido muito esclarecimento sobre elas. À medida que gradualmente forem sendo cumpridas, serão mais bem entendidas; e gerações futuras ficarão bem mais surpresas e instruídas por elas do que nós.” (Explanatory Notes [Notas Explanatórias], de Scott, 1832) A falta de entendimento das profecias de Daniel, em princípios do século 19, indicava que o predito “tempo do fim” ainda era futuro, visto que os “perspicazes”, os verdadeiros servos de Deus, haviam de entender a profecia no “tempo do fim”. — Da 12:9, 10.
    A expressão “tempo do fim” também é usada no que diz respeito a acontecimentos específicos relacionados com o governo humano. Daniel 11:40 reza: “No tempo do fim, o rei do sul se empenhará com [o rei do norte] em dar empurrões, e o rei do norte arremeterá contra ele com carros, e com cavaleiros, e com muitos navios.” Depois disso, a profecia considera as ações do “rei do norte” e indica que este terá um fim. (Dan. 11: 41-45) Assim, o “tempo do fim”, neste caso, deve evidentemente ser entendido como um período que culmina com a destruição do “rei do norte”. O que confirma isto é que o “rei do norte” é anteriormente representado perseguindo os servos de Deus, os “perspicazes”, até o “tempo do fim”, isto é, até o seu tempo do fim. — Da 11: 33-35.
    Outro aspecto associado ao “tempo do fim” é o erguimento dum “rei de semblante feroz” que tomaria posição contra o “Príncipe dos príncipes” e por fim seria destroçado ou destruído. Este “rei” se ergueria na parte final dos reinos que surgiriam das quatro partes em que se dividiria o Império Grego. (Da 8:8-25) Uma vez que o “rei do norte” e o “rei do sul” surgiram da mesma fonte, segue-se logicamente que o “rei de semblante feroz” corresponde a um desses ‘reis’ no seu “tempo do fim”.
    A expressão “tempo do fim” não significa ‘fim do tempo’, mas indica um período que culmina no fim ou destruição, não de todas as coisas, mas das coisas mencionadas na profecia. As Escrituras esclarecem que o tempo em si não findará. Por exemplo, o salmista disse a respeito da terra: “Não será abalada, por tempo indefinido ou para todo o sempre.” (Sal 104:5) Visto que a terra continuará a existir, conclui-se necessariamente que o tempo, como “dimensão” ou medida terrestre, não cessará. Embora seja verdade que Revelação (Apocalipse) 10:6 possa ser traduzido por “não haverá mais tempo”, o contexto indica que isto significa nenhuma concessão adicional de tempo; assim, termina um período específico ou concedido de tempo. (BJ) Outras versões, portanto, rezam: “Não haveria mais demora.” (Al, IBB) “Não haverá mais demora.” (NM) Comentando este texto, A. T. Robertson observa: “Isto não significa que chronos (tempo) . . . deixará de existir, mas somente que não haverá mais demora no cumprimento da sétima trombeta (versículo 7 ), em resposta à pergunta: ‘Até quando?’ ( 6:10).” — Word Pictures in the New Testament (Quadros Verbais no Novo Testamento), 1933, Vol. VI, p. 372.

    Curtir

  4. William André Dos Santos

    Obs…Seria muito bom se vocês cassassem os malditos terroristas que tem no mundo. Terrorista bom é terrorista morto antes que provoque o atentado ok.

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: