Arquivos do Blog

Concurso Escola de Sargentos das Armas do Exército (EsSA)

Formandos da EsSA

A Escola de Sargentos das Armas do Exército Brasileiro (EsSA) divulgou as normas (editais 02, 03 e 04/2015) para realização do novo Concurso de Admissão aos Cursos de Formação de Sargentos das Áreas Combatente/Logística-Técnica/Aviação, Música e Saúde. Os Cursos de Formação terão início em abril de 2016 e término em dezembro de 2017.

Para participar do concurso, o candidato deverá, entre outros requisitos, ter concluído o ensino médio, possuir no mínimo 17 e no máximo, 24 anos de idade, sendo que, para as áreas de saúde e música, a idade máxima será de 26 anos de idade; medir, no mínimo, 1,60m de altura, para o sexo masculino, ou 1,55m para o sexo feminino, e não estar em condição de réu em ação penal.

Para a área de Combatente/Logística-Técnica/Aviação, há vagas para os cursos de Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia, Comunicações, Intendência, Topografia, Material Bélico – Armamento, Material Bélico – Mecânico Operador, Manutenção de Comunicações, Material Bélico – Mnt Vtr Auto e Aviação – Manutenção.

Para a área de Música, as oportunidades são para os seguintes naipes: Clarineta, Fagote em dó/Contra-Fagote em dó, Flauta em dó/Flautim em dó, Oboé em dó/Corne-inglês, Saxhorne, Saxofone, Tímpanos/Bombo/Pratos/Tarol/Caixa Surda, Tuba, Trombone Tenor/Trombone Baixo, Trompa e Trompete/Cornetim/Flueghorne.

Já na Saúde, as chances são para Técnico em Enfermagem.

As inscrições poderão ser efetuadas até 06 de julho de 2015, via internet no site http://www.esa.ensino.eb.br, mediante pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 70,00.

O concurso de admissão para a matrícula nos CFS terá as seguintes fases:

a) 1ª fase, composta pelas etapas de exame intelectual, valoração de títulos, inspeção de saúde, exame de aptidão física e exame de habilitação musical, para os candidatos da área Música aprovados (aptos) nas etapas anteriores e convocados para este exame prático;
b) 2ª fase: revisão médica e comprovação dos requisitos biográficos dos candidatos, de caráter eliminatório, quando de sua apresentação nas OMCT.

As provas terão data e local anunciados no http://www.esa.ensino.eb.br, com antecedência.

A validade do concurso será de 15 dias após a homologação do resultado do certame.

Mais informações sobre todas as vagas podem ser encontradas no Manual do Candidato, acessível no link a seguir: http://concurso.esa.ensino.eb.br/site/ManualDoCandidato.aspx

Os editais foram publicados no Diário Oficial da União em 11 de maio de 2015, seção 3, a partir da página 23.

Fonte: Conc. no Brasil

Anúncios

Rússia produz equipamentos para “soldado do futuro”

 

Rússia, equipamento, Ratnik

Foto: RIA Novosti

Em 2014, o Ministério russo da Defesa procederá a compras generalizadas de equipamentos e fardamentos Ratnik (Guerreiro) destinados para um “soldado do futuro”. O conjunto inclui armas ligeiras modernas, meios de proteção, comunicação e reconhecimento militar.

A encomenda prevê a aquisição de dezenas de milhares de novos conjuntos do gênero para o Exército. Uma atenção especial será dispensada para os meios de proteção de soldados em combate – um colete à prova de bala, reforçado com painéis cerâmicos de compósitos, resistente aos efeitos de armas de fogo e perfurantes. Um macacão de fibra Alutex será capaz de resistir aos estilhaços de granadas e minas.

O novo conjunto de equipamentos integra ainda novas armas de fogo. Em setembro de 2013, no âmbito do Ratnik, foram anunciados testes de novas armas automáticas em substituição aos AK-74. O vencedor do concurso ainda não foi selecionado, embora esteja bem claro que AK-12 de 5ª geração agora não tem concorrentes. As suas provas deverão ser concluídas na primavera do ano em curso. Mas aqui também existem certas ressalvas, considera o redactor-chefe da revista Nezavissimoie Voennoe Obozrenie (Revista Militar Independente), Viktor Litovkin:

“Ainda não se sabe se o fuzil automático AK-12 fará parte do equipamento do Ratnik, apesar de possuir uma precisão de tiro maior e ser composto de materiais novos. O AK-12 está munido de chapa Picatinny (Picatinny rail) em que se pode fixar vários dispositivos adicionais – aparelhos de pontaria noturna e até um computador compacto. O Ak-12 tem a reputação de uma arma polivalente, de manejo fácil e conveniente, de elevada precisão”.

Todavia, para dizer verdade, na Rússia existem armas que superam um pouco o AK moderno. Por exemplo, a metralhadora Nikonov AN-94, AEK-971 da empresa mecânica Kovrov que possuem a capacidade de fogo cerrado por rajadas 1,5-2 vezes mais alta do que o AK-74M. Por isso, o Estado Maior e a Agência de Armamentos têm a última palavra. No momento, é difícil prever por qual dessas armas estas duas instituições irão optar.

Vale acrescentar que o conjunto Ratnik constitui uma base para passar ao uso de equipamentos e fardamentos modernos. Várias unidades militares deverão utilizar arma que mais lhes convém. Os elementos da Infantaria Motorizada podem ser dotados de uma arma, as unidades de reconhecimento militar – de outra, os franco-atiradores – com um fuzil automático bem diferente de primeiras duas.

Uma atenção especial será dedicada aos meios de comunicação, navegação e comando. Segundo demonstrou o conflito na Ossétia do Sul, ocorrido em 2008, os equipamentos militares do Exército russo tem algumas deficiências, sobretudo, na área de comunicações. O Ratnik tem de suprir essa falta, realçou Viktor Litovkin:

“No elo tático, o sistema de comunicações tem revelado certos defeitos. Basta apreciar resultados das manobras do ano passado. A situação com os dispositivos de navegação é um pouco melhor. Os militares se têm queixado de um excessivo peso das estações de rádio portáteis, de instabilidade das comunicações. Os respectivos setores têm o que propor aos militares, mas os novos equipamentos devem ser ligeiros, resistentes à lama, ao frio, ao calor e à água, devendo a comunicação ser muito estável”.

O Ratnik abrange ainda o conjunto Strelets que incorpora os meios de comunicação, de indicação de alvos, informação e identificação. O Strelets estabelece a comunicação tanto entre os soldados no campo de batalha, como entre os elementos em combate e o comando das tropas.

O Ratnik tem o peso de 20 kg, ou seja, 6 kg menos do que o análogo francês FELIN (Fantassin a Equipement et Liaisons Integres). Na criação de novos equipamentos participaram dezenas de empresas militares russas e centros científicos. Por isso, podemos afirmar que o Ratnik vem representando novas ideias tecnológicas e inovações com o uso obrigatório de materiais mais sofisticados.

 

Fonte: Voz da Rússia

Participar nos concursos indianos para vencer

Msta, Apachy, Antey-2500,India, Rússia, armamentos

Sistema de artilharia autopropulsada Msta
Фото: РИА Новости

A Rosoboronexport e a empresa indiana Larson&Tourbo(L&T) irão concorrer pelo direito a fornecer 100 obuses autopropulsados ao Exército da Índia. O valor do contrato está estimado em 20 bilhões de rupias (364 milhões de dólares). Para outro concurso, já anunciado pela Índia, de fornecimento de mais de 100 sistemas antiaéreos foram, convidadas tanto empresas indianas, como estrangeiras, entre as quais a Rosoboronexport.

O concurso para o fornecimento dos obuses está a ser realizado no âmbito do programa de modernização da artilharia. O programa de rearmamento prevê um gasto total de mais de três bilhões e meio de dólares. Nos últimos anos, a Índia tem seguido, de uma forma coerente, uma aposta na diversificação dos fornecimentos. Isso explica o fato de os vencedores dos concursos serem empresas de diferentes países. A Índia escolheu o helicóptero de ataque Apache, mas rejeitou as propostas norte-americanas para o fornecimento de aviões de combate a favor do Rafale francês. Entretanto, a Índia está a cooperar com a Rússia no desenvolvimento do caça de quinta geração.

A companhia L&T participa no concurso em conjunto com a sul-coreana Samsung Techwin. Eles oferecem um obus de 155 milímetros baseado no sistema autopropulsado coreano, com a condição de esse equipamento ser montado na Índia. A Rússia irá provavelmente apresentar o seu sistema de artilharia autopropulsada Msta, que já foi testada em combate e está em permanente modernização, explica o editor principal do site Vestnik PVO (O Mensageiro da Defesa Antiaérea) Said Aminov:

“A peça do Msta foi projetada tanto para o calibre de munições russo, como para o calibre da OTAN. Ela possui um sistema automático de pontaria e comando de tiro. Esse sistema de artilharia equipa tanto o exército russo, como o de uma série de países. Recentemente, a Rússia forneceu com sucesso esse sistema autopropulsado à Venezuela.”

O exército indiano leva sempre muito a sério o seu equipamento com meios de combate modernos. A Índia é um dos países que aspiram ao papel de superpotência regional, refere o editor principal da revista Natsionalnaya Oborona (Defesa Nacional) Igor Korotchenko:

“A Índia tem adversários político-militares e geopolíticos, que são o Paquistão e a China, por isso ela está a reforçar as capacidades de todos os ramos e armas das suas Forças Armadas sem exceção, incluindo as das tropas terrestres. A substituição de armamento por sistemas de armas evoluídos é um dos padrões das reformas militares do país. A Índia está a reforçar o seu potencial e irá comprar armamento em quantidades crescentes.”

No concurso para a aquisição de sistemas antiaéreos irão provavelmente participar, além da Rosoboronexport, a empresa francesa Thales, a norte-americana General Dynamics e a israelense IAI. Nessa competição, as hipóteses de sucesso dependem da forma como a Rússia irá definir a sua política de marketing negocial, diz Igor Korotchenko:

“Os nossos sistemas antiaéreos, desde os ligeiros até aos de alcance extremamente elevado, são bastante eficazes, tanto mais que possuem simultaneamente um grande potencial de defesa contra mísseis táticos. Por isso se deve dedicar à Índia uma grande atenção.”

Considerando que o sistema antiaéreo da Índia se baseia em tecnologias estadunidenses e israelenses, não será fácil para a Rússia vencer o concurso. Mas Moscou poderá oferecer sistemas complexos, nomeadamente o sistema de mísseis de grande alcanceAntey-2500. Ele pode equipar tanto a defesa antiaérea de longa distância, como a defesa contra mísseis táticos de médio alcance.

 

Voz da Rússia

%d blogueiros gostam disto: