Corrida naval no mundo árabe impressiona os EUA

Ambassador Mk.III do Egito

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos está impressionado com a quantidade e o porte dos planos de reequipamento que estão sendo examinados ou implementados pelas marinhas do mundo árabe – um tipo de corrida armamentista que parece inédita aos militares e analistas de Defesa americanos.

De acordo com a empresa de consultoria americana AMI International, existem, atualmente, ao menos 31 programas de reaparelhamento naval em preparação no Oriente Médio e no Norte da África – e dois terços desses planejamentos deverão começar a ser executados até o início de 2017.

A Armada da Arábia Saudita apresentou ao Escritório de Programas Internacionais da U.S. Navy, na metade final de janeiro, uma letter of Request (LoR) – carta de Requisição – que informa o interesse do governo de Riad por nada menos que 40 navios militares…

Conteúdo – O documento chegou a Washington dias antes do falecimento (a 23.01) do Rei Abdullah, mas seu sucessor é o Rei Salman, que ocupava a Pasta da Defesa quando a LoR foi preparada – o que faz supor que seu conteúdo será mantido.

A carta dos chefes navais sauditas especifica as seguintes unidades:

  • 4 fragatas antiaéreas de 3.500 toneladas e velocidade de 35 nós, armadas com mísseis de lançamento vertical;
  • 12 corvetas de 1.150 toneladas; e
  • 24 embarcações de patrulha menores.

As embarcações vão compor a chamada Frota Oriental da esquadra saudita, organização militar a ser custeada por um investimento estimado em 16 bilhões de dólares.

Não está claro onde os sauditas desejam que essas embarcações sejam construídas, mas os americanos não abrem mão de fabricar as fragatas em seus estaleiros.

Diferentes versões do Littoral Combat Ship para exportação, a de maior porte aparece com radares SPY-1F

Diferentes versões do Littoral Combat Ship (LCS) para exportação, a de maior porte aparece com radares SPY-1F

 

Radar – O governo Barack Obama trabalha agora no sentido de enviar ao rico cliente, uma proposta de radar de detecção de alvos aéreos adequada às fragatas.

A opção de maior valor técnico e financeiro representaria dar aos militares sauditas acesso ao sofisticado SPY-1F, do famoso sistema de combate Aegis, fabricado pela Lockheed Martin.

A única marinha estrangeira a receber esse equipamento americano foi, por enquanto, a da Noruega, que o instalou em suas fragatas classe Fridtjof Nansen. As demais embarcações Aegis operadas por esquadras aliadas dos Estados Unidos – na Espanha, Coreia do Sul, Japão e Austrália – empregam o radar SPY-1D, um modelo que custa 12 milhões de dólares mas tem alcance ligeiramente menor que o 1F.

Os radares da família SPY-1 são equipamentos multifunção phased array, com varredura em 360º e amplas capacidades de busca, detecção aérea, tracking simultâneo de centenas de alvos no ar e na superfície, além de apoio ao disparo de mísseis.

Encomendas – Juntos, os almirantes da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes Unidos e da Argélia são os responsáveis por quase 40% das encomendas de navios de guerra anunciadas pelo mundo árabe. As esquadras do Egito e de Israel concentram outros 20% dessas solicitações.

Nove programas, porém, parecem caminhar muito devagar, e com boas chances de serem suspensos.

Entre eles estão o projeto de uma corveta para a Marinha de Bahrein; a incorporação de algumas corvetas e de dois navios de apoio pela força naval do Kuwait; e os planos para uma corveta e um navio de desembarque de fuzileiros navais preparados pela pequena Marinha do Catar;

Diversidade – Em Washington, um caso que chama especial atenção é o do Egito que, a 16 de fevereiro, fechou a importação de uma fragata FREMM francesa e de 24 caças multirôle Rafale pela bagatela de 5,9 bilhões de dólares.

O episódio ganhou destaque não tanto pelos números do negócio, mas pelo fato de a força naval egípcia ter, dessa forma, agravado a falta de padronização de sua esquadra, que comprou fragatas de desenho chinês e corvetas porta-mísseis ligeiras (500 toneladas) classe Ambassador Mk.III, fabricadas nos Estados Unidos – unidades que irão se somar a barcos espanhóis e ingleses.

Analistas americanos observam: embarcações de tantas origens diferentes vão, certamente, agravar os problemas de apoio logístico e de treinamento de pessoal da frota egípcia. Mas isso não parece preocupar o Ministério da Defesa local.

 

Publicado em 02/27/2015, em Notícias e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. As potencias Mundiais estão criando “cobras” para serem picadas por elas. Essas Armadas na mão de “loucos” será um inicio de uma confrontação Mundial, e inicia-se o chamado Armagedom.

    Apocalipse 6: 3 –  E quando abriu o segundo selo, ouvi a segunda criatura vivente dizer: “Vem!” 4 E saiu outro, um cavalo cor de fogo; e ao que estava sentado nele foi concedido tirar da terra a paz, para que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.

    Apocalipse 6:13 - e as estrelas (Satélites Militares em orbitas da terra) do céu caíram para a terra, como quando a figueira, sacudida por forte vento, deixa cair os seus figos verdes.

    Apocalipse 6:14 – E o céu afastou-se como um rolo que está sendo enrolado, e cada monte e [cada] ilha foram removidos dos seus lugares. (MONTE E ILHAS = Toda forma de Governos hoje existentes Serão destruídos entre si numa Batalha sem precedentes.

    Apocalipse 6: 15 E os reis da terra, e os dignitários, e os comandantes militares, e os ricos, e os fortes, e todo escravo e [toda] pessoa livre esconderam-se em cavernas e nas rochas dos montes. 16 E estão dizendo aos montes e às rochas: “Caí sobre nós e escondei-nos do rosto Daquele que está sentado no trono e do furor do Cordeiro, 17 porque veio o grande dia do seu furor, e quem é que pode ficar de pé?”

    Curtir

  2. eadem@ig.com.br

    O presidente dos EUA Mumacack Obanana está se sentindo o “rei da cocada preta” do mundo inteiro porque apesar da decadência econômica e social que os EUA experimentam, existem muitos governantes altamente corruptos, sumamente otários e sabujamente lacaios dos EUA e de Israel que, apesar dos respectivos países estarem em paz, não terem nenhuma necessidade de armar-se e nem haver obrigações diplomáticas que os obriguem a lutar contra quem quer que seja mas, não perdem a oportunidade de esbanjar seus petrodólares em armamentos sofisticados para, caso os EUA entrem em guerra, poderem apoiar em pé de igualdade e sem problemas logísticos ao EIXO DO MAL (EUA, Israel e aliados) em suas aventuras de rapinagem.

    De passagem e tão descaradamente como a quadrilha PT usou a Petrobrás para LAVAR DINHEIRO BRASILEIRO em falcatruas montadas nos EUA, existem por aí, chefetes, régulos, manipansos e outros insetos LAVANDO GRANA, gerando PROPINA, ESBANJANDO PETRODÓLARES SECRETAMENTE nessas mirabolantes compras de armamentos nas quais quem compra paga dobrado pra levar 1/4 de retorno mas o resto fica com mega-empresas norte-americanas e autoridades dos EUA (incluindo obviamente o safado-mor da pátria, o presidente dos EUA Mumacack Obanana)… e não se esqueçam que os grandes sócios de todas as grandes empresas dos EUA são JUDEUS!

    Não se iludam, esse é o mapa da mina!

    =====

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: