Bombardeios do Exército matam ao menos 31 insurgentes no Paquistão

Pelo menos 31 supostos insurgentes morreram em bombardeios do Exército em Tirrah, na região tribal de Khyber, no noroeste do Paquistão, informou neste domingo (4) uma fonte militar.

Os ataques aéreos foram realizados no sábado e neles foram destruídos quatro refúgios insurgentes e um centro de treinamento de suicidas, de acordo com um comunicado do serviço de comunicação do Exército do Paquistão (ISPR).

O Exército paquistanês lançou a operação Khyber I em meados de outubro contra os insurgentes que se refugiam nesta região tribal do país e nela morreram cerca de 200 talibãs e islamitas, segundo o ISPR.

Meses antes, em junho, os militares paquistaneses começaram a operação Zarb-e-Azb (Afiado e cortante) no Waziristão do Norte, que causou quase mil mortos.

O TTP, principal grupo talibã do país, massacrou 132 crianças e 12 professores em um colégio lançando granadas e atirando de sala em sala em meados de dezembro na cidade de Peshawar como vingança por estas ações militares.

Desde então, o Exército paquistanês intensificou as operações contra os insurgentes e entre outras medidas o primeiro-ministro, Nawaz Sharif, levantou a moratória vigente desde 2008 sobre a pena de morte, após o sangrento ataque na escola, e sete pessoas foram executadas.

FONTE: G1

Publicado em 01/04/2015, em Notícias e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Pelo menos 31 supostos insurgentes morreram…(citação da matéria)

    Raios! ou é ou não é…SUPOSTOS! Ta parecendo aquele medíocre povinho que;
    SE FOREM CONDENADOS… E assim se arrasta por três mandatos essa sujeira política.

    Curtir

  2. eadem@ig.com.br

    Historicamente os paquistaneses são um povo oportunista que sempre viveu às custas dos poderosos mas incipientes régulos que medravam no Grande Hindustão e de uns 200 anos para cá, após o domínio inglês, os paquistaneses passaram a cortejar esses invasores e piratas europeus e como a Índia também foi dominada, os paquistaneses puseram-se ao lado dos ingleses para beneficiar-se de uma posição privilegiada e separatista da influência indiana.

    Com o fim do Império Britânico e desejosos de manter-se aliados aos poderosos do Ocidente (que é onde corre dinheiro), eles recusaram as ofertas das esquerdas russa e chinesa e desde a “guerra fria” os safardanas paquistaneses tornaram-se abjetos lacaios dos EUA, que os arma na expectativa de ter um aliado naquela região caso a Índia (sempre de tendências esquerdistas), cisme de voltar a tornar-se potência regional.

    Vai daí, os paquistaneses – que são muito menos progressistas, trabalhadores e produtivos que os indianos – têm um governo corrupto e oportunista, uma casta militarista de fancaria e soldados que lutam por um prato de comida, ou por uma melhor condição social num país miserável, não chegam a ser uma potência, mas têm poder de fogo suficiente para causar danos a eventuais inimigos. Inclusive têm armas nucleares cedidas pelos irresponsáveis governos bandidos dos ingleses e norte-americanos.

    Ora, já se disse que os governantes e altos chefes militares paquistaneses além de incompetentes, são corruptos. Vai daí, às vezes eles acolhem os talibãs em seu próprio território. Quando param de receber propina, os expulsam.

    É bom não esquecer que o Paquistão produz ópio que comercializa com os norte-americanos e judeus, ambos, os maiores traficantes de drogas deste mundo e que distribuem essa droga pelo planeta inteiro, muitas vezes utilizando seus próprios transportes militares aéreos, marítimos e navais.

    Não que o talibã seja uma ameaça séria ao Paquistão, à Ásia, a Israel, aos EUA e muito menos à paz mundial, mas os EUA têm que mante-los “vivos” e lutando para que possam vender armas aos que os combatem. Inclusive o Paquistão, que finge lutar contra o talibã e troca armas e poder por mais ópio que vai acabar nas veias da juventude do mundo ocidental.

    Ora, os EUA fazem a mesma coisa com as FARC colombianas. Mantem-nas lutando contra as armas que vende a Colombia em troca da pasta-base de cocaina produzida pelos cocaleiros do pedaco e depois de tudo refinado, todo mundo cheira e os traficantes judeus ou macons de Washington levam os lucros e ainda posam de campeoes mundiais da decencia.

    Como tem otario neste mundo, meu Deus!

    Curtir

  3. eadem@ig.com.br

    Historicamente os paquistaneses são um povo oportunista que sempre viveu às custas dos poderosos mas incipientes régulos que medravam no Grande Hindustão e de uns 200 anos para cá, após o domínio inglês, os paquistaneses passaram a cortejar esses invasores e piratas europeus e como a Índia também foi dominada, os paquistaneses puseram-se ao lado dos ingleses para beneficiar-se de uma posição privilegiada e separatista da influência indiana.

    Com o fim do Império Britânico e desejosos de manter-se aliados aos poderosos do Ocidente (que é onde corre dinheiro), eles recusaram as ofertas das esquerdas russa e chinesa e desde a “guerra fria” os safardanas paquistaneses tornaram-se abjetos lacaios dos EUA, que os arma na expectativa de ter um aliado naquela região caso a Índia (sempre de tendências esquerdistas), cisme de voltar a tornar-se potência regional.

    Vai daí, os paquistaneses – que são muito menos progressistas, trabalhadores e produtivos que os indianos – têm um governo corrupto e oportunista, uma casta militarista de fancaria e soldados que lutam por um prato de comida, ou por uma melhor condição social num país miserável, não chegam a ser uma potência, mas têm poder de fogo suficiente para causar danos a eventuais inimigos. Inclusive têm armas nucleares cedidas pelos irresponsáveis governos bandidos dos ingleses e norte-americanos.

    Ora, já se disse que os governantes e altos chefes militares paquistaneses além de incompetentes, são corruptos. Vai daí, às vezes eles acolhem os talibãs em seu próprio território. Quando param de receber propina, os expulsam.

    É bom não esquecer que o Paquistão produz ópio que comercializa com os norte-americanos e judeus, ambos, os maiores traficantes de drogas deste mundo e que distribuem essa droga pelo planeta inteiro, muitas vezes utilizando seus próprios transportes militares aéreos, marítimos e navais.

    Não que o talibã seja uma ameaça séria ao Paquistão, à Ásia, a Israel, aos EUA e muito menos à paz mundial, mas os EUA têm que mante-los “vivos” e lutando para que possam vender armas aos que os combatem. Inclusive o Paquistão, que finge lutar contra o talibã e troca armas e poder por mais ópio que vai acabar nas veias da juventude do mundo ocidental.

    Ora, os EUA fazem a mesma coisa com as FARC colombianas. Mantem-nas lutando contra as armas que vende a Colombia em troca da pasta-base de cocaina produzida pelos cocaleiros do pedaco e depois de tudo refinado, todo mundo cheira e os traficantes judeus ou macons de Washington levam os lucros e ainda posam de campeoes mundiais da decencia.

    Como tem otario neste mundo, meu Deus!

    Quanto as matancas de supostos talibas e pura cascata, do mesmo modo que nossas autoridades policiais sobem as favelas para matar traficantes a mando dos politicos esquerdistas corruptos que temos aqui no Brasil.

    Tudo farinha do mesmo saco…

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: