Obama e Raúl Castro anunciam retomada das relações de Cuba e EUA

Os presidentes Barack Obama e Raúl Castro anunciaram nesta quarta-feira (17) o restabelecimento das relações dos Estados Unidos e Cuba. O embargo comercial ao país caribenho, no entanto, permanecerá.

 

RELAÇÕES CUBA-EUA

Obama confirmou que Cuba libertou nesta quarta o prisioneiro americano Alan Grosse, em troca, três agentes de inteligência cubanos que estavam presos nos Estados Unidos voltaram à ilha. A transferência de Gross e dos cubanos Luis Medina, Gerardo Hernandez e Antonio Guerrero foram concluídas.

Os EUA anunciaram as seguintes medidas:

– restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países;
– facilitar viagens de americanos a Cuba;
– autorização de vendas e exportações de bens e serviços dos EUA para Cuba;
– autorização para norte-americanos importarem bens de até US$ 400 de Cuba;
– início de novos esforços para melhorar o acesso de Cuba a telecomunicação e internet.

As medidas incluem ações práticas como o restabelecimento de uma embaixada americana em Havana e a revisão da designação dada pelos EUA a Cuba de Estado que patrocina o terrorismo.

Obama também disse que espera um debate sério do Congresso norte-americano para que levante o embargo que o país mantém a Cuba, que proíbe a maioria das trocas comerciais. Os dois países não se relacionavam desde 1962 – mantendo apenas seções de interesse de nível menor desde 1977 em suas respectivas capitais.

EUA-Cuba (Foto: Doug Mills/Pool/Reuters, Reprodução/Reuters)Barack Obama e Raúl Castro durante seus pronunciamentos  (Foto: Doug Mills/Pool/Reuters, Reprodução/Reuters)
A mudança é ainda mais difícil quando nós carregamos a carga pesada da história nos nossos ombros. Mas hoje nós estamos fazendo essas mudanças porque é a coisa certa a fazer”
Barack Obama

Obama disse que a normalização das relações com Cuba encerram uma “abordagem antiquada” da política externa americana. Ao justificar a decisão, o presidente disse que a política “rígida” dos EUA em relação a Cuba nas últimas décadas teve pequeno impacto.

O presidente americano afirmou acreditar que os EUA poderão “fazer mais para ajudar o povo cubano” ao negociar com o governo da ilha.

Ele usou uma frase em espanhol durante o discurso: “Todos somos americanos”.

“A mudança é difícil nas nossas vidas e na vida das nações. E a mudança é ainda mais difícil quando nós carregamos a carga pesada da história nos nossos ombros. Mas hoje nós estamos fazendo essas mudanças porque é a coisa certa a fazer.”

Em Havana, Raúl Castro confirmou o restabelecimento de relações diplomáticas e disse que quer restabelecer os vínculos especialmente no que se refere a viagens, correio postal direto e telecomunicações.

“Exorto ao governos dos Estados Unidos a remover os obstáculos que impedem os vínculos entre nossos povos”, disse Castro.

“Devemos aprender a arte de conviver de forma civilizada com nossas diferenças”
Raúl Castro

‘Profundas diferenças’
Castro disse ainda que reconhece que há “profundas diferenças” entre os dois países, “fundamentalmente em matéria de soberania nacional, democracia, direitos humanos e política exterior”, para em seguida completar: “Reafirmo nossa vontade de dialogar sobre todos esses temas.”

O presidente cubano ainda disse que a ilha vai libertar e mandar para os EUA um homem de origem cubana que espionou para os americanos — não se trata, nesse caso, de Alan Gross, que já está em solo americano.

Papel do Vaticano
Obama e Castro mencionaram o papel do Vaticano e do Papa Francisco em facilitar as negociações históricas entre os dois países. Obama dissse que o Papa ajudou ao pressionar pela libertação do americano Alan Gross. Raúl Castro também agradeceu o apoio do Papa Francisco para “ajudar a melhorar as relações entre Cuba e os EUA”. Ele também agradeceu ao Canadá pelo apoio logístico.

Após o anúncio, Papa Francisco parabenizou os dois países e disse que continuará a apoiar o fortalecimento das relações bilaterais.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que a troca de prisioneiros entre EUA e Cuba foi um gesto “corajoso” do presidente Barack Obama e que tratou-se de uma vitória para a ilha. “Temos que reconhecer o gesto de Obama, um gesto corajoso e necessário”, disse Maduro a líderes do Mercosul em reunião na Argentina.

Fonte: G1

Anúncios

Sobre Francisco Santos

Francisco Santos é jornalista a mais de 5 anos, hoj é correspondente do Jornal Diário do Estado (Paraná), em seus momentos livres escreve para o Blog Alvo na TV, com colunas críticas, imparcial, profissional ao extremo e dedicad ao mundo da TV. É fundador e dono do Blog de defesa Guerra & Armas, que já conta com um crescimento considerável e esta prestes a se tornar um dos maiores Blogs de defesa do país, com compromisso e credibilidade o jornalista Francisco Santos mostra toda sua qualidade e amor ao que faz.

Publicado em 12/17/2014, em Notícias e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Os EUA anunciaram as seguintes medidas:

    a_ restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países;
    b– facilitar viagens de americanos a Cuba;
    c– autorização de vendas e exportações de bens e serviços dos EUA para Cuba;
    d– autorização para norte-americanos importarem bens de até US$ 400 de Cuba;
    e– início de novos esforços para melhorar o acesso de Cuba a telecomunicação e internet.

    a_ Ja era hora afinal não houve prejuízo para ambas as partes.
    b_ Melhor para Cuba; sempre foi uma zona desde Fulgêncio Batista.
    c_ Faturar nunca fez mal aos Americanos do Norte; Concorrência para o PT.
    d_ Só se importarem Mulatas e Terroristas para revenderem para os EI.
    e_ tmbem ja era hora, afinal as agencias Americanas ja fazem isso sem expor ESPIÃO.

    Depois assumirem mais responsabilidades no Haiti, assim para essa leva de refugiados para alimentar o PT no Brasil.

    Curtir

  2. O motivo do fracasso do socialismo:

    Na época de Karl Marx havia pouco capital e poucos capitalistas. Tanto que os marxistas criaram como seu símbolo a foice e o martelo, bens de capital que custam menos que R$ 10,00.

    Um tear mecânico custava na época em torno de R$ 1.000,00, só que aumentava a produtividade do tecelão em mais de 10 vezes.

    Num primeiro momento este aumento de produção não chegava a afetar o preço do tecido que ficava praticamente igual, nem do trabalhador.

    Os primeiros donos de teares passaram a ganhar nove vezes mais do que na produção manual.

    O lucro inicialmente se tornou colossal.Foi isto que Karl Marx viu, e infelizmente achou que era o normal e não um fenômeno sui generis.

    Do dia para a noite, o lucro que era de 10% sobre um tecido passou a ser de 50%, uma baba. O que permitiu a compra de mais teares.

    Pergunte a um empresário ou capitalista o que ele acha de fornecedores que embutem margens de lucro de 50%.

    Garanto que ele responderá “um bando de ladrões”, a mesma análise feita por Karl Marx. Como isto é possível?

    Karl Marx não entendia de Processos Dinâmicos. Ele não tinha à sua disposição um Excel.

    Não conseguiu ir além da sua análise da situação da época, não conseguia simular o futuro nem como tudo isto iria terminar.

    Sem Excel e Matemática de Processos Dinâmicos, Marx achava que as Margens de Lucro seriam cada vez maiores, os capitalistas seriam cada vez mais ricos, e os trabalhadores cada vez mais pobres.

    Mas isto foi um chute, não uma constatação científica.

    O que Karl Marx não entendeu?

    O mínimo de administração.

    As empresas reinvestem 90% dos seus lucros, devolvem por assim dizer a mais valia de Marx, de volta para a sociedade comprando mais e mais teares.

    Maior produtividade e mais teares começavam a saturar o mercado da época e os preços despencaram.

    Marx, o intelectual mais influente do mundo depois de Adam Smith, previu incorretamente que a margem de lucro das empresas ficaria cada vez maior e não menor.

    Previu também que o número de capitalistas da época ficaria cada vez menor, e no final, na mão de uma única pessoa.

    Karl Marx achou que eventualmente haveriam poucos capitalistas dominando tudo, auferindo todo o lucro, e bastaria uma pequena revolução para eliminá-los e teríamos a sociedade justa e igualitária de imediato.

    Só que as margens de lucro despencaram de 50% para 2% sobre o preço de venda

    Como todo administrador previa na época.

    Basta ler as edições de Melhores e Maiores. Hoje quem cobra 50% do povo consumidor é o Estado, via impostos. A maioria das empresas tem margens de lucro de 5%, e 20% delas operam no prejuízo.

    Basta consultar a edição.

    Por quê?

    Em Administração descobrimos que era melhor ganhar pouco (2%) de muita gente do que fabricar Rolls Royce para poucos.

    Era melhor ganhar somente 2% de muita gente do que ganhar 50% de pouca gente.

    Algo que Marx não imaginou que poderia ocorrer.

    Honestamente, você se incomoda em dar 2% do preço do produto para o empreendedor que criou o produto que não existia, que organizou toda a equipe de produção, que gerou todo o sistema administrativo, que paga bem seus funcionários dando creches, educação e fundos de pensão que deveria ser função do Estado?

    Que arrisca um dia quebrar e perder tudo porque você não gosta do produto, que produz antecipadamente para que você sempre possa comprar aquilo que você precisa?

    Eu não pegaria em armas para destruir este sistema, para entregar tudo a gestores de estatais que nem sempre são tão eficientes e comprometidos com o consumidor.

    Se aparecer um setor com 50% de lucro, a saída é permitir mais concorrência que irá reduzir a margem, em vez de dar poderes monopolísticos para a Petrobras, a Vale, aos Correios, a Caixa, ao Banco do Brasil e assim por diante.
    Karl Marx nunca estudou administração, e não percebeu que capitalismo se combate com mais capitalismo, com mais “concorrência”, algo que não existe nas escolas de Marxismo, onde os professores têm monopólio, emprego vitalício, onde o melhor aluno jamais lhe substituiria como professor.

    Marxistas, Socialistas, Trotskistas, Maoistas, Stalinistas, Chavistas, Castristas, enfim, não perceberam que já em 1800, administradores estavam substituindo os barões capitalistas do passado e que os trabalhadores seriam proprietários das ações das empresas em que trabalhavam, via os Fundos de Pensão que nós administradores criamos.

    Metade das ações das 500 maiores empresas americanas estão hoje na mão de seus funcionários, e a outra metade nas mãos das viúvas dos antigos funcionários.

    Fomos nós administradores que implantamos a justiça que Marx tanto sonhou, e não os acadêmicos socialistas como Arrow, Joan Robinson, e Paul Sweezy.
    Karl Marx ensinou três gerações de acadêmicos a pregarem a estatização, os monopólios estatais.

    Petrobras, Vale, Eletrobras, Sabesp vendem commodities até hoje. Não precisam de administradores que acrescentam valor à matéria prima. Precisam de acadêmicos que saibam determinar o Preço de Mercado e nada mais.

    Se Karl Marx tivesse estudado administração, Rússia, Cuba, China, Índia e o Brasil não estariam tão atrasados como estão hoje.

    fonte:

    http://www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/se-karl-marx-tivesse-estudado-administracao/75603/

    Curtir

  3. eadem@ig.com.br

    As relações diplomáticas são interessantes. Quero ver as relações econômicas.

    Porém, quem saiu traído e perdendo nesta estória toda fomos nós, os brasileiros. Dede os que trabalham, investem, produzem e pagam escorchantes impostos, aos inúteis pilantras e oportunistas que recebem as inúmeras “bolsas vagabundagem” distribuídas graciosa e politiqueiramente por aqui.

    É que os babacas esquerdistas brasileiros – os mesmos que há muitos anos babam as bolas da camarilha castrista enquistada em Cuba – com “peninha” daqueles filhos-das-putas, investiram pesado na ilha construindo enorme e moderno complexo portuário, além de dotar La Habaña (capital daquela merda de ilha) numa imensa cidade dotada de infraestrutura de serviços públicos e outros aportes com a finalidade de transformá-la em ZONA FRANCA.

    Porém, não numa zona franca mutilada e pagante de impostos como a de Manaus (AM), mas num autêntico “porto livre” como a Zona do Canal do Panamá, ou o Paraguai, ou até mesmo a China.

    E por que os malditos petistas roubaram dos brasileiros para darem aos cubanos? Porque sonhavam usufruir PREFERENCIALMENTE os benefícios dessa futura zona franca (que de quebra, matará a onerada congênere manauara). De quebra, sonhavam com o apoio político dos irmãos Castro e respectiva camariulha. Mas se ferraram!

    E por quê? Porque os irmãos Castro são velhos píratas. Bandidos de longa data afinados com os segredos do poder e apenas usaram a ingenuidade doutrinária dos babacas brazucas para tomarem a grana deles e depois se aliarem ao pretenso mas imaginário arqui-inimigo da “revolução”, os EUA.

    Foi um tiro no pé e um pau no rabo dos brasileiros esquerdistas otários, os quais, até poderão usufruir os benefícios econômicos oriundos de Cuba, mas só se investirem pesado como qualquer outro concorrente internacional, porque os lucros mesmo serão usufruídos pela camarilha castrista e pelos norte-americanos e judeus!

    Quem diria… heim? E são esses “estadistas” de merda que os favelados brasileiros elegeram junto com ios ladrões do TSE fraudulento para nos governar por mais quatro anos.

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: