Quinze estados receberam apoio das Forças Armadas durante votação

Trinta mil homens das forças armadas reforçaram a segurança nas eleições em 15 estados. Em todo país, houve mais de mil prisões, a maioria por boca de urna.

No Rio de Janeiro, 2.500 homens das Forças Armadas que há seis meses já ocupam o conjunto de favelas da Maré, na zona norte da cidade, apoiaram a segurança na área. Os militares revistavam carros em busca de armas e drogas, enquanto um helicóptero sobrevoava a região.
Na semana que antecedeu a eleição, cinco pessoas morreram em tiroteios na cidade e em Niterói. Quinze estados receberam apoio das forças armadas para garantir a segurança e a logística durante a eleição deste domingo.

Trinta mil homens da Marinha, do Exército e da Aeronáutica foram deslocados para 281 cidades. Mas de maneira geral, não houve necessidade do emprego das forças de segurança para conter eventuais ataques a eleitores ou a sessões de votação. A maior parte dos registros foi mesmo de casos de desrespeito à lei eleitoral.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, houve 1129 prisões em todo país, a maioria por boca de urna; 71 presos eram candidatos, como Tovar Correa, do PSDB, que concorre a uma cadeira na Assembleia Legislativa da Paraíba. Com ele, foram encontradas cestas básicas e listas que seriam de eleitores.

Em Maceió, um candidato ao Senado agrediu uma eleitora. Marcos Antônio Brito, conhecido como Coronel Brito, concorre ao senado pelo PEN, Partido Ecológico Nacional. Depois da agressão, ele saiu da seção escoltado por seguranças particulares. Mais tarde, o TRE de Alagoas determinou a prisão do candidato. Mas até o fim da noite ele não tinha sido encontrado. O caso será investigado pela Delegacia da Mulher de Maceió.

Em Manaus, a polícia foi chamada por causa de uma suspeita de bomba em uma zona eleitoral que funcionou em uma escola. O prédio foi esvaziado e a votação ficou suspensa por duas horas. No local, foi encontrada uma garrafa pet com alumínio e fios enrolados. Para o grupo antibomba, foi apenas um trote. Mas por precaução, o artefato foi detonado. A polícia vai tentar identificar os responsáveis.

O candidato ao Senado, Coronel Brito, não foi encontrado pra comentar a agressão à eleitora. Ele não foi eleito. Na Paraíba, o candidato Tovar Correia negou ter distribuído cestas básicas. Ele pagou R$ 50 mil de fiança e foi liberado. Tovar Correia foi eleito deputado federal.

FONTE: G1

Anúncios

Publicado em 10/06/2014, em Notícias e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. jose camargo

    O candidato ao Senado, Coronel Brito, não foi encontrado pra comentar a agressão à eleitora. Ele não foi eleito. (citação da matéria)

    Imagine se tivesse sido eleito! E ainda que nos achamos que o regime é democrático!
    Esse é o tipo de político que o Brasil tem em grande escala (ha exceções)

    Curtir

  2. eadem@ig.com.br

    As eleições transcorreram na maior normalidade no Brasil não devido às FF AA, mas porque o povo é ordeiro, covarde mesmo e seria incapaz de cometer qualquer ato mais sério contra o pleito. E tem mais: Apesar de o Brasil estar na maior merda por causa péssima administração e corrupção do Luladrão, da anta Dilma e da quadrilha PT, sejam quais forem os resultados nas urnas o povão baixará a cabeça e escravizadamente continuará trabalhando como o gado humano que é. Vai daí, com ou sem FF AA as eleições iriam bem… salvo um ou outro bêbado ou arruaceiro maconhado, claro!

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: