Governador do RJ convoca cúpula de segurança após onda de tiroteios

Em 24 horas, mais de três comunidades da capital tiveram trocas de tiros. Avenida Brasil chegou a ser fechada por causa de confronto na Maré.

O governador Luiz Fernando Pezão convocou o secretário de Segurança José Mariano Beltrame e a cúpula de Segurança do Rio de Janeiro para discutir os atos criminosos registrados na capital entre terça (30) e quarta-feira (1). De acordo com a Secretaria de Estado de Governo (Segov), a reunião acontecerá na manhã desta quinta-feira (2) no Centro Integrado de Comando e Controle.

Ao menos duas pessoas foram mortas durante tiroteios nestes dois dias. Os atos ocorreram em pelo menos três comunidades da capital. Cerca de 10 mil estudantes foram prejudicados com a suspensão de aulas por questões de segurança e a Avenida Brasil, uma das principais vias da cidade, chegou a ser fechada por quase uma hora durante confronto entre criminosos e as tropas da Federação.

Em Niterói, já na noite de quarta-feira, tiroteio deixaram moradores assustados e um ônibus foi queimado por criminosos. Segundo a PM, a ação foi uma represália à morte de um suposto traficante durante operação policial na noite anterior.

Pânico no trânsito

A Avenida Brasil foi fechada por cerca de 40 minutos a partir das 14h40 desta quarta-feira (1º) por conta de um intenso tiroteio, segundo o Batalhão de Policiamento de Vias Expressas (BPVE). Tanto policiais do batalhão quanto agentes da Força de Pacificação da Maré foram acionados, e um tanque do Exército chegou a ser “estacionado” atravessado na Avenida Brasil, na altura da Fiocruz, sentido Zona Oeste, para impedir a passagem de motoristas. A troca de tiros teria começado por volta de 14h30.

Com medo, motoristas chegaram a dirigir na contramão para fugir do local. De acordo com a Fiocruz, funcionários de um prédio em frente ao castelo da fundação foram liberados com uma hora de antecedência, às 16h. O expediente normalmente vai até 17h. A assessoria de imprensa da Fiocruz também negou que o local tenha sido invadido por traficantes ou acertado por tiros. Conforme relatos de funcionários, quando há confronto próximo ao local, um alarme é acionado e a segurança é reforçada.

Às 15h40, segundo o Centro de Operações da Prefeitura, a via já estava liberada e tinha trânsito lento na altura do Caju até a altura do Canal do Cunha. Na altura da Fiocruz, o trânsito estava normalizado por volta de 15h30.

Onda de violência
Por causa de outros confrontos na cidade, cerca de 10 mil alunos da rede municipal ficaram sem aula na Zona Norte do Rio também nesta quarta. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, no Conjunto de Favelas da Maré, seis escolas municipais, três creches e um espaço de desenvolvimento infantil totalizaram 6.840 alunos longe das salas de aula. Na Vila Cruzeiro, foram 3.010 alunos de quatro escolas ficaram prejudicados. No Parque Proletário, mais de 1 mil alunos de duas escolas da localidade não puderam assistir às aulas.

Nos confrontos, duas pessoas morreram. A polícia informou que, nas proximidades da Vila do João, o homem baleado tinha uma arma ao lado do corpo. Na Vila Cruzeiro, outro homem armado teria sido morto.

G1

Anúncios

Publicado em 10/05/2014, em Notícias e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. eadem@ig.com.br

    Se os brasileiros querem mesmo ter paz urbana, têm que começar a exterminar desembargadores, juízes, promotores, oficiais de justiça e todos os membros do judiciário junto com os das quadrilhas de bandidos, pois todos são farinha do mesmo saco. E cá pra nós: Sem meio termo e à moda cubana… al paredón!

    Curtir

    • Temos que matar não membros do judiciário, e sim membros do PT que negou a diminuição da maioridade penal, apesar de 9/10 da população apoiar a diminuição!

      Curtir

  2. jose camargo

    Eric esta absolutamente certo. Desde que a quadrilha do Mensalão ficaram sendo “poupados” num tempo longo para que o povo esquecessem, ou que os quadrilheiros tivessem tempo de camuflar o roubo do dinheiro, esse crime dos morros se sentiram no direito de copia-los.

    Enquanto isso, o “zé povinho” continua pagando o pato, e também os aloprados debeis mentais, continuam dando comentários de perfeitos cretinos de plantão, querendo que os colegas sejam seu cúmplice na verborragia transbordante dos intestinos, e não do cérebro que evidentemente não tem.

    Curtir

  3. Numa democracia o legislativo e não o judiciário que aprova leis e revoga, o sistema judiciário, apesar de seus inúmeros problemas, é mais uma vitima da inabilidade do legislativo de atualizar o código penal que existe desde a época do estado novo de Getúlio Vargas.

    Os 11 que foram conta a vontade de milhões:

    Radolfe Rodrigues (PSOL)
    Eduardo Suplicy (PT)
    José Pimentel (PT)
    Gleise Hoffman (PT)
    Aníbal Diniz (PT)
    Angela Portela (PT)
    Inácio Arruda (PCdoB)
    Antonio Carlos Valadares (PSB)
    Eduardo Braga (PMDB)
    Roberto Requião (PMDB)
    Lúcia Vânia (PSDB)

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: