Poderá a China criar Forças Espaciais?

China, desenvolvimento, espaço

Há pouco, o jornal japonês Yomiuri Shimbun escreveu que a China, possivelmente, tem formado Forças Espaciais com o estatuto de ramo independente das Forças Armadas paralelamente às Tropas Terrestres, à Força Aérea, à Marinha e à Segunda Artilharia (tropas de mísseis de destino estratégico).

Há várias provas testemunhando que a importância da utilização militar do espaço para a China está crescendo constantemente.

A China é um dos líderes mundiais ou ocupa o primeiro lugar no mundo em muitos vetores importantes do desenvolvimento do espaço militar. Seus projetos de elaboração de armas antissatélite são de maior escala e os mais avançados no mundo. O país está ocupando primeiras posições no desenvolvimento de satélites de reconhecimento, conseguindo, em particular, obter uma resolução inferior a um metro em seus satélites de reconhecimento ótico-eletrônico. Engenheiros chineses estão desenvolvendo com êxito um sistema de navegação por satélites.

Ao mesmo tempo, a atribuição do estatuto de ramo independente das Forças Armadas às Forças Espaciais é pouco provável. Em primeiro lugar, porque, no caso da aprovação de tal decisão, poderíamos ver alterações na composição do Conselho Militar Central da China, formado pelos comandantes dos ramos das Forças Armadas. Seria alterada cardinalmente a estrutura organizativa do Comando General de Armamentos que controla a maioria de objetos da infraestrutura espacial terrestre. As mudanças seriam notáveis também na Segunda Artilharia cujo pessoal participa no lançamento de aparelhos espaciais no interesse das Forças Armadas.

Tais bases espaciais chinesas como Taiyuan e Xichang são também centros de ensaio de mísseis de combate, inclusive balísticos e antissatélite. É interessante como elas seriam controladas. Em geral, as alterações no sistema de comando, recrutamento e abastecimento material-técnico seriam de tal envergadura que não faria sentido, sendo mesmo um non sense, dissimula-las.

Mas, de qualquer maneira, será necessário resolver em perspectiva os problemas da subordinação e do estatuto das Forças Espaciais. Em breve, a China irá dispor de vários sistemas espaciais complexos ao serviço de diferentes consumidores. Por exemplo, o desdobramento de mísseis de cruzeiro pesados contra navios e de mísseis balísticos contra navios exigirá desenvolver potentes sistemas de indicação de alvos. Em outras palavras, será dispensada cada vez maior atenção ao espaço militar.

A China está aumentando também o número de satélites de reconhecimento destinados para a espionagem ótica e a escuta de radiotransmissões e pretende desenvolver um sistema de aviso de ataques de mísseis. Tudo isso, paralelamente ao desenvolvimento de armas antissatélite, significa o crescimento do número de especialistas e o aumento de despesas financeiras ligadas ao espaço, devendo, respectivamente, elevar a influência e o peso político de certas estruturas militares. Naquela altura, possivelmente, surgirá a necessidade de atribuir o estatuto independente das Forças Armadas às Forças Espaciais.

 

Voz da Rússia

Sobre Francisco Santos

Francisco Santos é jornalista a mais de 5 anos, hoj é correspondente do Jornal Diário do Estado (Paraná), em seus momentos livres escreve para o Blog Alvo na TV, com colunas críticas, imparcial, profissional ao extremo e dedicad ao mundo da TV. É fundador e dono do Blog de defesa Guerra & Armas, que já conta com um crescimento considerável e esta prestes a se tornar um dos maiores Blogs de defesa do país, com compromisso e credibilidade o jornalista Francisco Santos mostra toda sua qualidade e amor ao que faz.

Publicado em 09/25/2014, em China e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. E outra que enche o mundo com inutilidades para ganhar dinheiro. Enquanto isso massacra seu povo com crianças abandonadas nas ruas por falta de visão humana e cristã. Usem de tecnologia para criar condições de erradicar a pobreza para o mundo, Erradicar doenças como EBOLA e outras que virão com certeza.

    3 Sabe, porém, isto, que nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de manejar. 2 Pois os homens serão amantes de si mesmos, amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, 3 sem afeição natural, não dispostos a acordos, caluniadores, sem autodomínio, ferozes, sem amor à bondade, 4 traidores, teimosos, enfunados [de orgulho], mais amantes de prazeres do que amantes de Deus, 2º á Thimoteo 3: versos 1 a 4. (biblia)

    Curtir

  2. Vamos assistir no youtube os vídeos sobre “O livro de Urântia”, são + – 15 vídeos, eu iniciei há 2 anos e estou no 6º .

    Curtir

  3. eadem@ig.com.br

    Quanta boataria idiota mal fundamentada e sensacionalista. Mas respondendo á pergunta de… se a China poderá criar forças espaciais? Eu respondo com outras duas perguntas: E por que não? Ou se isso é exclusividade de alguma outra nação privilegiada que veta essa prerrogativa a todos os demais?

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: