América Latina unida seria mais poderosa que a URSS

Muitos subestimam a força e a união, a América Latina vem sendo tratada desde sempre como uma região pobre e que somente serve para exploração de bens e mão de obra, no entanto os países desse enorme continente, tem economias diversificadas, governos sólidos e forças armadas, apesar de nossas forças armadas serem obsoletas e ultrapassadas, contaríamos com o maior e mais bem preparado exército que o mundo já conhecerá desde os tempos do Império Romano sob o comando de César.

A  América latina seria capaz de mobilizar em apenas 24 horas cerca de 1 milhão de homens armados, treinados e já aquartelados, ou seja, já em serviço militar ativo, seríamos capazes também de mobilizar a maior armada de guerra que o mundo já conhecerá desde o Dia ”D” na invasão da Normandia durante a segunda grande guerra, seriam mais de  1.000 navios em prontidão,  cerca de 12 submarinos, o que é relativamente um número pequeno de submarinos tendo em vista que os países latinos tem poucos navios desse tipo.

Caças F-16 do Chile, Su-30 da Venezuela, F-5 e Mirage 2000 do Brasil e Colômbia somados as centenas de Helicópteros, dariam a União latina superioridade incrível em relação aos inimigos, mesmo que o inimigo tenha armas mais avançadas a superioridade numérica estaria do lado da união latina.

Mais de 2 mil tanques de guerra vindos somente do Brasil, outros 1.000 da Argentina, Bolívia, Uruguai, México e Bolívia, sem dúvidas uma união sem precedentes jamais vista no mundo.

Mas é claro que é uma ideia boba e jamais será possível, pois os países tem diferenças culturais acentuadas, e outrora Bolívar já tentou unir esses países mas fracassou graças a Deus, mas não custa nada só relatar aqui no Guerra & Armas uma ideia vaga de como seria esse união.

Como o titulo diz acima seriamos mais poderosos que a URSS e não ao mundo, por isso antes de comentarem preste muita atenção no titulo, pois certamente a OTAN é mais poderosa que essa futura União, no entanto a OTAN pensaria 500 vezes antes de enfrentar um inimigo com tal capacidade, e a OTAN não tem tantos homens treinados assim, eles tem os equipamentos de ponta, mas não quem os opere em tempo Recorde, e nós temos pessoas preparadas na reserva para operar aeronaves, tanques e navios têm, só não temos os equipamentos certos.

Francisco Santos, Guerra & Armas.

Anúncios

Sobre Francisco Santos

Francisco Santos é jornalista a mais de 5 anos, hoj é correspondente do Jornal Diário do Estado (Paraná), em seus momentos livres escreve para o Blog Alvo na TV, com colunas críticas, imparcial, profissional ao extremo e dedicad ao mundo da TV. É fundador e dono do Blog de defesa Guerra & Armas, que já conta com um crescimento considerável e esta prestes a se tornar um dos maiores Blogs de defesa do país, com compromisso e credibilidade o jornalista Francisco Santos mostra toda sua qualidade e amor ao que faz.

Publicado em 04/15/2013, em América do Sul, Argentina, Brasil, Guerras Simuladas e marcado como , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. a AL tem tratados de defesa mútua que possibilitaria tal mobilização, mesmo que que não seja sobre o comando de uma unica nação, pois como vc citou, há muitas diferenças culturais entre os povos do continente, mesmo assim, eu tenho muita curiosidade em ver um F-16 Chilenno ou um Su-30 (modificados pela Embraer) venezuelano lançando uma termonuclear Made in Brazil em um certo Império prepotente.

    Curtir

  2. Uncle Europe

    Caso a OTAN, por alguma razão, estivesse disposta a se envolver em uma guerra com essa futura “União”, ela teria pessoal suficiente, pois tendo 28 países membros e sendo um deles em especial os Estados Unidos; e caso este estivesse disposto em mandar CADA homem em serviço das suas forças armadas (Exército, Marinha, Força Aérea… Guarda Costeira, sim, pois ela é considerada parte das forças armadas dos EUA, tendo navios que podem ser comparados a navios de guerra da Marinha Brasileira) para esta guerra, eles teriam 1.170.000 de homens na ATIVA, esse seria o número SEM contar os USMC (fuzileiros); sem contar os militares da ativa das outras 27 nações membros da OTAN e sem colocar o pessoal da reserva de todo esse pessoal. Vamos lembrar que estamos supondo uma possível guerra entre essas duas organizações (OTAN e “União”), sendo assim, n teria Rússia, nem China, nem países da Europa que não façam parte da OTAN (n existe o resto do mundo, seria um jogo de xadrez, só para 2 jogadores).
    Bom, ressalto que praticamente quem suportaria (ser a base) da “União” seria o Brasil e Colômbia, em termo de pessoal da ativa e reserva. Os demais países n teriam um número considerável (então caso o Brasil e Colômbia não estivessem dentro…já era. Mas o mesmo n vale para a OTAN, pois caso os EUA estivessem fora, os outros 27 países dariam conta da “União (sem Brasil e Colômbia)”) de militares.
    Voltando ao conceito original, vc disse que teríamos em torno de +2000 tanques vindos só do Brasil e em torno de 1000 vindo de alguns outros países. Bom… Só os EUA tem 8.325 tanques e como vc msm disse, a OTAN possui tecnologia/armamento de ponta, e nós não. Seremos realista, n podemos supor que temos armamento de ponta, Fato.
    Concluindo, lembre-se do potencial americano como mostrado na Segunda Guerra. Eles passaram de uma nação despercebida (na área militar) para uma superpotência militar. E sendo uma época de guerra que n teríamos visto desde a WWII, o esforço de guerra do Povo americano tbm seria grande contra a “União” igual foi contra os Nazistas.
    Ps.: concordo com vc em relação aos 12 submarinos sendo um número peq. contra 71 submarinos dos EUA. Acredito que seria realmente surpreendente mais de 1000 navios, porém “Quantidade não é Qualidade”. USMC (fuzileiros dos EUA) tem em torno de 200mil na ativa e em torno de 40 mil na reserva. E não teríamos a menor chance no ar contra os 6.013 aviões (EUA).
    Dizendo que cada país envolvido utilizaria cada militar ATIVO (não reservista) de suas forças armadas, posso dizer que no total a OTAN teria 3.268.900 (Fonte: https://pbs.twimg.com/media/B33QQzPCIAARjMa.jpg:large) e a “União” SEM a América Central teria 1.023.417 (Fonte: http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/forcas-armadas/brasil.htm), já COM a América Central (610.000) seria 1.633.417. Continuaria inferior a OTAN.
    Por último, teríamos dificuldade em peças de reposição e teríamos que começar a produzir nossos próprios tanques, alguns navios e aviões, já que tanques como Leopard são Alemães, navios como Amazonas são britânicos e aviões como F-16 são americanos… E sim, eu li que vc reconhece que a OTAN seria mais poderosa. Só quis deixar claro que eles tem pessoal.

    Abraços, Uncle Europe

    Curtir

  3. EL EX MINISTRO DE COLOMBIA, CAMILO OSPINA, INICIÓ UNA CAMPAÑA PARA HACER UN REFERÉNDUM PARA UNIFICAR AMÉRICA LATINA EN UNA FEDERACIÓN. ENTRAR EN LA WEB Y DAR TU VOTO.

    https://www.unelaya.com/PT/debut-2/

    Curtir

Esse espaço é para debate de assuntos relacionados ao Blog, fique á vontade para comentar!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: