curtirGuerra & ArmasOPÇÃO2

Resposta ao regime fascista sionista

As críticas ao sionismo e ao governo de Israel não podem ser confundidos e transformados no antissemitismo e o ódio ao povo judeu que vive em paz com o mundo e sempre viveu, é necessário salientar que apesar de ser perseguido assim como os Cristãos também o foram, os judeus jamais pegaram em armas para atacar ou ate mesmo se defenderem de perseguições na Europa e no Brasil Católico pré-Império.

Portanto o anti-sionismo é válido e aceitável pois combate um movimento racista e xenófobo que hoje governa Israel e não é diferente do Hamas, ambos defendem o aniquilamento da cultura um do outro.

Mas é preciso lembrar que o Hamas também é vilão, é um grupo terrorista que usa civis para atacar Israel, mas não é por isso que Israel tem que matar palestinos indefesos que também são vítimas do Hamas, suspendam os bombardeios desumanos e que vitimam sem escolher alvos e continuem somente com a operação em terra, pois no solo os soldados israelenses conseguem discernir militantes do Hamas para vítimas civis.

O que não podemos aceitar é que hospitais da ONU sejam bombardeados por Israel ou Escolas e campos de refugiados, afinal a ONU não compactua com terroristas e todos sabemos que existem militares da ONU nestes estabelecimentos e caso existissem terroristas Israel seria informada.

A única credibilidade que Israel tinha foi por água abaixo ao bombardear o hospital e as escolas da ONU, assim Israel acusa indiretamente a ONU de ser compactuante com terroristas?

Queremos a paz, queremos o fim do genocídio e do holocausto do povo palestino, queremos que os Israelenses durmam a noite sem te receio de que mísseis caiam na cabeça de seus filhos e em suas casas.

Se não querem se aceitar problema dos israelenses e problema dos palestinos, resolvam isso em um campo de futebol, na ONU, em ataques verbais e em processo internacionais, mas a guerra tem que acabar, pois a triste realidade é que o povo palestino vem sendo atacado e dizimado ano após ano.

Francisco Santos – Editor Chefe.

Em vídeo espetacular, e em fotos, o incrível “USS Independence”, novo barco de guerra da Marinha americana

Publicado originalmente em 8 de junho de 2011.

Amigos, este novo barco de guerra da Marinha americana, o USS Independence, é uma novidade tecnológica que pode revolucionar a concepção das armadas do mundo. Algo como os porta-aviões que, a partir do afundamento do poderoso Bismarck da Alemanha nazista, durante a II Guerra Mundial, em 1941, determinaram o fim da era dos grandes encouraçados.

Os tempos das velhas batalha visuais, que desde os galeões dos piratas colocava cada barco no seu horizonte de tiro, foi dramaticamente encerrada com o advento da aviação embarcada.

Um simples avião com um único torpedo era capaz de derrubar um colosso de aço: foi o que aconteceu com o Bismarck, que perdeu o rumo ao ser golpeado no leme pelo torpedo lançado pelo pequeno avião Swordfish que decolou do porta-aviões britânico HMS Ark Royal.

Rodando em círculos no Atlântico, a jóia de Hitler foi cercado pela Marinha inglesa, a Royal Navy, e afundado em maio de 1941.

Esse novo conceito de guerra naval chegou ao extremos meses depois, em junho de 1942, na batalha de Midway, quando duas frotas se enfrentaram sem se verem. O combate aconteceu entre os aviões que decolaram de lado a lado. Afundando nada menos do que 4 porta-aviões japoneses, os EUA viraram a maré da guerra no Pacífico num confronto decisivo.

Pois este novo barco, o LCS (iniciais em inglês de “navio de combate no litoral”), ao que tudo indica, pode ser algo tão revolucionário quanto. Até pelo design, absolutamente inovador.

É um protótipo leve, rápido como seria um carro da Fórmula-1 nas mesmas condições (faz 50 nós, 90 km por hora), construído em forma de agulha e que não passa de uma letal variação blindada de um trimarã. Carrega 3 helicópteros armados, tem forte poder de fogo — 3 canhões e 5 metralhadoras pesadas de diferentes calibres — e alta tecnologia nos seus 3 radares e 2 sensores eletrônicos, embora necessite de apenas 40 tripulantes. Pode, portanto, ser um fator de desequilíbrio em qualquer enfrentamento no mundo.

O USS Independence é todo modulado, capaz de receber muita variação de armamento, e, apesar de seus 130 metros de comprimento, consegue fazer curvas na água que só uma lancha ou um jet-ski poderia imitar.

Vejam-no em ação. O vídeo é impressionante:

 

Fonte: Veja Online

Porta-voz de Israel reage e afirma que desproporcional é 7 a 1

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, rebateu em entrevista ao Jornal Nacional, exibida na noite desta quinta-feira (24), as críticas feitas pelo governo brasileiro de uso “desproporcional” da força israelense na Faixa de Gaza.

Ele ironizou a declaração do Brasil e fez referência à derrota sofrida pela seleção brasileira por 7 a 1 em partida contra a Alemanha na semifinal da Copa.

A resposta de Israel é perfeitamente proporcional de acordo com a lei internacional. Isso não é futebol. No futebol, quando um jogo termina em empate, você acha proporcional e quando é 7 a 1 é desproporcional. Lamento dizer, mas não é assim na vida real e sob a lei internacional”, disse Palmor.

Na quarta (23), em nota oficial, o governo brasileiro classificou de “inaceitável” a escalada da violência na Faixa de Gaza e informou que chamou o embaixador em Tel Aviv “para consulta”.

A medida diplomática de convocar um embaixador é excepcional e tomada quando o governo quer demonstrar o descontentamento e avalia que a situação no outro país é de extrema gravidade.

Nesta quinta, o jornal “The Jerusalem Post” publicou reportagem na qual Yigal Palmor questiona a retirada do embaixador e chama o Brasil de “anão diplomático”.

Em reação, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo, afirmou que, se existe algum “anão diplomático”, o Brasil não é um deles.

Em entrevista à TV Globo, Yigal Palmor afirmou ainda que desproporcional seria deixar “centenas de pessoas mortas nas ruas de Israel”.

Quase 800 palestinos, incluindo mulheres e crianças, e mais de 30 israelenses, entre estes 29 soldados, morreram em duas semanas de ofensiva de Israel contra a Faixa de Gaza.

O porta-voz destacou que o que desequilibrou o número de mortos na guerra foi o sistema antimísseis do país.

“A única razão para não termos centenas de mortos nas ruas de Israel é termos desenvolvido um sistema antimíssil e não vamos nos desculpar por isso. Se não tivéssemos esse sistema haveria centenas de pessoas mortas nas ruas de Israel. Isso seria considerado proporcional?”, questionou.

Ao ser perguntado sobre se Israel vê possibilidade de um cessar-fogo com a iniciativa de discussão liderada pelos Estados Unidos, o porta-voz voltou a alfinetar o Brasil.

“Há muitos contatos diplomáticos sendo feitos. [...] Infelizmente o Brasil não faz parte. O Brasil se afastou de todos os movimentos diplomáticos ao convocar seu embaixador. Mas há outros países envolvidos. Um dia desses vai haver um cessar-fogo. A questão é saber quantas pessoas vão pagar com suas vidas pela teimosia e extremismo do Hamas.”

Ataque contra escola
Disparos contra uma escola da ONU em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza, deixaram mortos nesta quarta. A escola abrigava vários palestinos refugiados, disse o porta-voz do ministério da Saúde de Gaza, Ashraf al-Qidra.

A autoria do ataque ainda é incerta. O governo palestino o chamou de “brutal agressão israelense”. Israel, no entanto, disse que está analisando o que aconteceu e que um foguete do Hamas pode ter causado as mortes.

FONTE: G1

EUA dizem que tropas ucranianas foram bombardeadas pela Rússia

Separatista pró-Rússia armado anda nesta quinta-feira (24) por vila Hrabove, no leste da Ucrania, ao lado de destroços do avião malaio que caiu na semana passasda na região (Foto: REUTERS/Maxim Zmeyev)

Os Estados Unidos têm evidências de que fogo está sendo lançado desde a Rússia contra posições militares ucranianas, disse nesta quinta-feira (24) um alto funcionário do governo norte-americano.

Moscou também planeja enviar plataformas de lançamento de mísseis aos separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia, disse a porta-voz adjunta do departamento de Estado dos EUA, Marie Harf, a jornalistas.

“Temos novas evidências de que os russos querem fornecer lançadores de foguetes mais pesados e mais poderosos para as forças separatistas na Ucrânia”, declarou. Segundo Harf, as evidências provêm de fontes dos serviços de inteligência.

Sanções
Nesta quinta, os governos da União Europeia concordaram em adicionar 15 pessoas e 18 empresas e organizações para a lista de sanções por minar a integridade territorial da Ucrânia, disseram diplomatas.

Depois de longas conversas, embaixadores da UE não chegaram a um acordo sobre quais seriam as sanções contra setores da ecnomia russa e vão retomar as discussões nesta sexta.

Mas eles concordaram em expandir o critério para as sanções da UE e incluir companhias e pessoas que apoiam os tomadores de decisões russos responsáveis por desestabilizar a Ucrânia.

FONTE: G1

‘Se há algum anão diplomático, o Brasil não é um deles’, diz ministro retrucando Israel

Em reação a declarações da chancelaria de Israel que minimizaram o peso do Brasil na diplomacia mundial, o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, afirmou nesta quinta-feira (24) que, se existe algum “anão diplomático”, o Brasil não é um deles.

De acordo com o jornal “The Jerusalem Post”, o porta-voz do ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, chamou o Brasil de “anão diplomático”, ao comentar a decisão brasileira de chamar o embaixador para consultas por conta da escalada de violência na Faixa de Gaza. Nos últimos 16 dias, pelo menos 644 palestinos e 31 israelenses, entre estes 29 soldados, que morreram na ofensiva de Israel contra o grupo islâmico Hamas.

O porta-voz, segundo a publicação, disse que a atitude do governo brasileiro é “uma demonstração lamentável de como o Brasil, um gigante econômico e cultural, continua a ser um anão diplomático”.

“Somos um dos 11 países do mundo que têm relações diplomáticas com todos os membros da ONU e temos um histórico de cooperação pela paz e ações pela paz internacional. Se há algum anão diplomático, o Brasil não é um deles”. Mas não contestamos o direito de Israel de se defender, jamais contestamos isso. O que contestamos é a desproporcionalidade das coisas”, disse Figueiredo durante um evento em São Paulo.

Em entrevista à TV Globo, o chefe do Itamaraty disse que o Brasil reconhece o direito de defesa de Israel, mas que as ações militares na Faixa de Gaza devem ser feitas com “proporcionalidade”. O ministro criticou mortes de crianças e civis e as classificou como “inaceitáveis”.

Nesta quarta (22), o Brasil chamou o embaixador em Tel Aviv “para consultas”, medida diplomática tomada quando o governo quer demonstrar o descontentamento e avalia que a situação no outro país é de extrema gravidade.

Em resposta à atitude do governo brasileiro, o governo de Israel publicou nota oficial (veja íntegra ao final deste texto) em que afirma que a decisão brasileira “não reflete o nível de relação entre os países e ignora o direito de Israel defender-se”.

Na entrevista, questionado sobre a nota israelense, Figueiredo disse que o Brasil reconhece o direito de defesa de Israel, mas critica a “desproporcionalidade” da ação militar. O ministro afirmou que o Brasil condena também as ações de violência do Hamas, grupo palestino envolvido no conflito.

“O Brasil, desde o início, condenou tanto o lançamento de foguetes pelo Hamas, e nós fomos abundantemente claros com relação a isso, como condenamos tambem a reação de Israel. Nós não contestamos o direito de defesa que Israel tem. É um direito que ele tem. Nós contestamos a desproporcionalidade entre uma coisa e outra. Morreram cerca de 700 pessoas na Faixa de Gaza, a grande maioria delas civis e um número também bastante alto de mulheres e crianças. Isso não é aceitável e é contra isso que nós nos manifestamos”, afirmou o ministro.

Na entrevista desta quinta, Figueiredo afirmou que Brasil e Israel são países amigos, mas que “amigos também podem discordar”.

Sobre chamar o embaixador para consultas, Figueiredo disse que se trata de um procedimento normal e que não sabe quantos dias o diplomata vai ficar no país.

“O embaixador do Brasil em Israel está sendo chamado, isso é um procedimento normal, que diplomaticamente mostra a nossa inconformidade com os fatos. Quando ele chegar, eu terei conversas com ele, buscarei mais informações sobre o que ocorre em campo. E a nossa esperança real é que haja um cessar-fogo imediato e que se negocie a paz na região. Israel e Palestina têm o direito de conviver em paz como paises soberanos. E é isso que nos queremos”, disse o ministro.

Veja a íntegra do comunicado oficial de Israel:

Jerusalém, 24 de Julho de 2014

Israel manifesta o seu desapontamento com a decisão do governo do Brasil de retirar seu Embaixador para consultas. Esta decisão não reflete o nível das relações entre os países e ignora o direito de Israel de se defender. Tais medidas não contribuem para promover a calma e estabilidade na região. Em vez disso, elas fornecem suporte ao terrorismo, e, naturalmente, afetam a capacidade do Brasil de exercer influência.

Israel espera o apoio de seus amigos na luta contra o Hamas, que é reconhecido como uma organização terrorista por muitos países ao redor do mundo.

FONTE: G1

Pesquisa do site aponta vitória de Aécio Neves já no primeiro turno

O Guerra & Armas faz desde a semana passada uma enquete sobre a intenção de voto nos candidatos a presidente, a pesquisa é respondida uma única vez por pessoa e por IP, ou seja, a pessoa só pode votar uma vez, pois a pesquisa registra o IP e bloqueia mais de um voto, com isso a pesquisa foi respondida por 208 pessoas ate agora, no entanto ela continua ate os próximos dias.

Diferente das pesquisas Data Folha e Ibope, inúmeras pesquisas e enquetes por diversos sites, dão como certa a vitória de Aécio Neves ainda no primeiro turno, mas devemos lembrar que não podemos tomar como base uma enquete em blog ou site, afinal esta disponível para todas as faixas de idade.

O Guerra & Armas, registra em média 300 a 350 mil visitas por ano, o que o credencia como o maior Blog (E não site) de defesa e politica do Brasil atualmente, contando com mais de 1 milhão de visualizações, com isso nossos leitores foram convidados a participar de nossa pesquisa, que se definiu ainda no primeiro turno não sendo necessário uma pesquisa possível segundo turno.

Veja abaixo os resultados parciais de nossa pesquisa que aponta Aécio Neves como vitorioso ainda em primeiro turno, lembramos que todos os nomes que estão presentes na pesquisa são de candidatos que somaram mais de 1 ponto em pesquisas eleitorais anteriores a julho.

 

pesquisa

Participaram 208 pessoas ate a presente data de 24/07/2014, estando ainda aberta a votação nos próximos dias, a pesquisa mostra Aécio Neves com 50,48% das intenções de voto, em segundo a candidata do PT, Dilma com 20,67 P.P, logo atrás com apenas 7,69% aparece Eduardo Campos.

Votos Brancos ou nulos representam 8,77 p.p, eleitores indecisos somam 6,25%, os demais candidatos somam juntos 4,77 p.p da intenção de voto.

Por ser uma pesquisa de recosta direta, não há margem de erro, pois a pesquisa registra o IP e bloqueia logo em seguida, então intende-se que 1 PC temos 1 votante.

Por ser uma enquete não há necessidade de registrarmos a enquete no TRE-MG. @dilmabr, @AecioBlog, @AecioNeves

Veja o arsenal de mísseis que Gaza usa contra Israel

Mísseis GRAD, este são os mísseis usados pelo Hamas, além dos lançadores de ombro (Bazucas).

O Hamas, a Jihad Islâmica e outras facções menores em Gaza dispõem, segundo analistas militares israelenses, de um arsenal que inclui desde rústicas bombas de pouca carga e precisão, a foguetes de 122 milímetros, tipo Grad, que podem alcançar até 20 quilômetros. E agora também foguetes classe M-302, manufaturados na Síria, com um alcance de entre 90 a 160 quilômetros, que recentemente teriam chegado às cidades israelenses de Hadera e Zihron Yaakov, a 110 e 120 quilômetros de Gaza, respectivamente.

Entre o arsenal em poder do Hamas, segundo Israel, figuram igualmente dezenas de foguetes iranianos Fajr-5, e o grupo islamita desenvolveu uma versão local denominada M-75. De 333 milímetros, estes projéteis podem alcançar facilmente o centro de Israel e três deles chegaram a população de Dimona, 80 quilômetros ao sudeste de Gaza, que abriga um reator nuclear.

O exército israelense garante que os grupos armados na Faixa contam com um arsenal de, aproximadamente, 10 mil foguetes, dos quais o Hamas dispõe de seis mil e a Jihad 5.500. Em março deste ano, a marinha israelense interceptou em águas do Mar Vermelho, a 1.500 quilômetros de sua costa, um navio que levava dezenas de mísseis M-302, carga que Israel atribuiu ao Irã e assegurou que tinham como destino as milícias em Gaza.

Fonte G1

%d blogueiros gostam disto: